A Irresponsabilidade política e o desespero de Lula
Publicidade
Publicado 15/12/2017 - 07h08

A Irresponsabilidade política e o desespero de Lula

Entre as mais recentes declarações do ex-presidente Lula é causa de repulsa de qualquer pessoa minimamente informada a que fez em seu atual périplo no Rio de Janeiro. Declarou que a causa da situação catastrófica em que vive o Estado são as ações da lava jato, literalmente afirma: "A Lava Jato não pode fazer o que está fazendo com o Rio", "Não pode, por causa de meia dúzia que eles dizem que roubou, mas ainda não provaram, causar esse prejuízo".
Ignora o petista que as mazelas do Rio de Janeiro foram causadas por sucessivos governantes que assaltaram os cofres públicos, se locupletando com o dinheiro arrecadado da população em benefício próprio. Vários já estão presos e não faltam provas, filmes realizados pelos próprios réus debochando da população como a festa do guardanapo em Paris, as inúmeras joias compradas a valores exorbitantes, entre outras, são de conhecimento público.
A única preocupação de Lula no momento parece ser a de evitar a sua prisão. Como não tem argumentos para se defender dos fatos, busca atacar seus acusadores e desacreditá-los junto a seus seguidores para se proteger. Com isso, presta um desserviço à nação e soma-se a uma enorme legião de corruptos que destroem o serviço público, gerando um numero infindável de mortos devido a má prestação de serviços em áreas como a saúde, a segurança, o saneamento básico e o transporte, entre outros.
O condenado Lula busca desacreditar as instituições visando unicamente seu próprio benefício e de seus familiares. Suas ações não visam esclarecer, mas manter na ignorância o maior número pessoas, pois é disso que se nutre seu capital de votos. Faz da mentira uma arte, jacta-se de suas atitudes com bravatas do tipo “a alma mais honesta desse país”.É uma piada, mas não dá para rir, por suas implicações. Em 14 anos o petismo nos legou uma inflação alta, 14 milhões de desempregados e economia destroçada. Utilizou recursos públicos para manter uma parcela da população dependente de ajuda governamental a qual recorre sempre em períodos eleitorais. Não capacitou, não educou, mas manteve atrelada ao seu ideário populista.
No desespero, Lula vê como única saída, para fugir do acerto com a justiça, construir uma narrativa se colocando como vítima, perseguido político para tentar colocar gente nas ruas para defende-lo. Utiliza a mentira rezando na cartilha do ministro da Propaganda de Adolf Hitler que afirmava que “uma mentira repetida mil vezes, torna-se verdade”. Essa é a tática que vem sendo utilizada por Lula e seus advogados que negam inúmeros fatos apresentados pela imprensa e pela justiça. Sua condenação não é fruto de nenhuma perseguição, ao contrário, a justiça tem sido bastante tolerante com o ex-presidente que já deveria estar na cadeia, como outros que o foram por denúncias menores.
O ex-presidente costuma afirmar que é perseguido pelas elites. Mentira deslavada e fácil de comprovar. As elites nunca foram tão beneficiadas quanto no seu governo. Os bancos foram os que mais ganharam. As empreiteiras se locupletaram. Grandes empresas foram montadas com aportes do BNDES e criaram numerosos milionários da noite para o dia, alguns estão agora na cadeia.
Os indícios de que sua atuação política esteve voltada para o enriquecimento ilícito são claros e desmentem a versão de que não tenha se beneficiado da corrupção. Lula teve quase R$ 10 milhões confiscados de suas contas, no inventário de sua mulher foram encontrados mais R$ 11 milhões espalhados por várias contas, seus filhos demonstram claramente enriquecimento ilícito possuindo imóveis, empresas e dinheiro incompatíveis de terem sido obtidos legalmente.
Suas alianças no Brasil e no Exterior, demonstram que não se move por ideologia alguma, mas tão somente objetiva seus próprios interesses. Os ex-presidentes Sarney Collor de Mello, o senador Renan Calheiros, Romero Jucá e a grande maioria dos políticos envolvidos e denunciados na Lava Jato foram e muitos ainda são seus aliados. Suas alianças com governos populistas e ditatoriais no exterior são bem conhecidas: Kadafi, Bashar el Assad, Chavez, Maduro entre os mais conhecidos.
São muitas as bravatas de Lula, mentiras sem fundamento que se alinham com as proferidas pelo presidente norte-americano Donald Trump. São manifestações irresponsáveis e constituem uma ameaça para o Brasil, que não merece a volta do populismo e da irresponsabilidade orçamentaria que jogou o nosso país no fundo do poço.