Publicado 08/04/2019 - 14h53 - Atualizado 08/04/2019 - 15h18

Por Fábio de Mello

Comandado pelo mineiro Cristiano há 6 anos, o bar se tornou um ponto de encontro do bairro

Fábio Mello/AAN

Comandado pelo mineiro Cristiano há 6 anos, o bar se tornou um ponto de encontro do bairro

Conheci o Bar da Viola ainda adolescente. Morava perto e caçava, algumas vezes na semana, um bom bilhar para jogar com os amigos e as mesas desta bodega eram das melhores da região. Hoje, não existe mais o canto reservado para jogos: daquela época, a birosca manteve apenas a simplicidade comum aos comércios localizados na periferia.
Comandado pelo mineiro Cristiano há 6 anos, o bar se tornou um ponto de encontro do bairro. Local tranquilo para uma prosa agradável, regada a cerveja e saborosa comida tradicional de boteco. O estabelecimento foi reformado recentemente. Agora, conta com um generoso balcão em 'L', onde os botequeiros se aglomeram durante os horários mais movimentados.
Além do espaço interno, dispõe de mesas na calçada, quase sempre ocupadas por aposentados, moradores do bairro, para ler o jornal ou contar histórias aos jovens mais atenciosos. A decoração simples, segundo Cristiano, foi feita de acordo com os objetos presenteados pelos próprios frequentadores.
Os petiscos mais vendidos são o frango empanado, farto e frito bem sequinho, e a costelinha de porco, mas o meu favorito disparado é o torresmo, vendido por unidade, cortado em tiras bem finas, como se fazia antigamente. Pernil, joelho de porco, lombo e costela são servidos apenas durante o fim de semana. Tudo é preparado no botequim, inclusive os salgados da estufa, que tem que ser reabastecida o dia todo devido a grande saída dos produtos.
Uma ou duas vezes por mês a casa faz jus ao nome e convida violeiros e adeptos da música sertaneja para animar as tardes de domingo. A música começa na hora do almoço e termina antes de anoitecer, para não incomodar os vizinhos.
Para rebater a ressaca nos finais de semana, o pessoal habitual do pedaço costuma, geralmente, pedir um ovo cozido da estufa, uma cachaça e uma gelada. Saúde!
ONDE?
BAR DA VIOLA
Rua Arthur Queiroz Guimarães, 236 - Vila Progresso, Campinas. Aberto de segunda a sábado, das 8h às 22h e de domingo das 8h às 15h.
Piada
Toda sexta, no mesmo horário, um cara chegava em um bar e pedia três cervejas ao mesmo tempo, até que o garçom perguntou o motivo.E o homem respondeu: “Tenho dois irmãos e cada um de nós mora longe. Assim, toda sexta, cada um de nós entra em um bar e pede três cervejas. Tomamos uma por cada um de nós. É o nosso modo de manter contato”. Noutra sexta, o homem entra no bar e o cara pede duas cervejas. O garçom gela. Um dos irmãos deve ter morrido, pensa. Meio sem jeito, pergunta para o homem: “Desculpe amigo, aconteceu alguma coisa com um de seus irmãos?”. E o bêbado diz: “Não, estão todos bem, é que eu parei de beber!”.

Escrito por:

Fábio de Mello