Publicado 15/05/2019 - 11h41 - Atualizado 15/05/2019 - 11h41

Por Paulo Santana

Dadá Belmonte já vestiu a camisa da Ponte: atacante, que tem passagens por Internacional e Santa Cruz-RN, também estava na mira do Náutico

Ponte Press/Luiz Guilherme Martins

Dadá Belmonte já vestiu a camisa da Ponte: atacante, que tem passagens por Internacional e Santa Cruz-RN, também estava na mira do Náutico

O atacante Dadá Belmonte, vice-artilheiro da Série A2 do Campeonato Paulista, com nove gols em 15 jogos pelo Água Santa, chegou ontem ao Majestoso. É mais um reforço para a sequência da Série B do Brasileiro. Junto com ele, chegaram o meia Marquinhos, do Corinthians, e o meia-atacante Marcondele, destaque do Osasco Audax na Série A3 do Paulista.
Agora, para completar o pacote de reforços prometido pela diretoria, falta só o atacante Lucas Silva, do Flamengo. O acordo para empréstimo até o final do ano estava acertado, mas o Bahia entrou no circuito e ameaça furar a negociação da Macaca.
Revelado pelo Salgueiro-PE, Dadá, de 22 anos, nasceu na pequena cidade de São José do Belmonte, no sertão pernambucano, de onde veio seu apelido. Chegou ao Carcará em 2015 e saiu no final do ano passado por empréstimo para o time de Diadema. Neste meio tempo, chegou a ser emprestado ao Internacional, onde atuou no time sub-23, e também ao Santa Cruz-RN. O Náutico, que joga a Série C, também tinha interesse no jogador.
Marquinhos, de 22 anos, campeão da Copa São Paulo em 2017, e Marcondele, 23, artilheiro da A3 com 11 gols, já treinaram ontem com os novos companheiros e poderão ser relacionados para a partida contra o Operário, sexta-feira, no Majestoso. Por outro lado, o volante André Castro rescindiu ontem seu contrato com a Ponte.
Preparação
Definindo o time para o duelo com o Operário, o técnico Jorginho avalia a possibilidade de contar com o meia Rafael Longuine, que chegou em janeiro ao clube e ainda não conseguiu entrar em campo.
Mas, diante da necessidade de vitória, os novos contratados deverão ser relacionados para a partida. O zagueiro Reginaldo, que vinha mantendo boa regularidade, admite que o momento é delicado. "Difícil achar resposta. Nossa atitude precisa ser diferente. É procurar acabar com essa oscilação e ser regular nos dois tempos de todos os jogos", afirma.
Para o técnico Jorginho, a torcida precisa apoiar o time contra o Operário-PR. Para isso, elogiou a venda de ingressos com preços mais baixos. "A diretoria tomou uma medida muito importante para possibilitar que o torcedor venha, com ingressos a partir de R$ 5,00", disse
Para ele, o time vai reagir. "Acreditamos no trabalho e estamos num bom caminho. Estou certo que vamos conquistar nossos objetivos. Para isso, precisamos vencer os dois jogos em casa (o outro será contra o Paraná, no sábado, dia 25) e é fundamental o apoio do torcedor", finaliza.

Escrito por:

Paulo Santana