Publicado 06/05/2019 - 14h45 - Atualizado // - h

Por Daniela Nucci

Especialista diz que algumas pessoas demonstram ter a criatividade mais facilmente, mas todas são capazes de exercer a habilidade

I Stock

Especialista diz que algumas pessoas demonstram ter a criatividade mais facilmente, mas todas são capazes de exercer a habilidade

Como dizia o gênio Albert Einstein: “a criatividade é a inteligência se divertindo”. Com base nessa declaração, Einstein olhava as situações de uma maneira diferente e inovadora, com bom humor, em muitos casos. Graças a essa habilidade, é possível ligar assuntos, informações, ideias e buscar uma nova visão com relação a um problema ou situação. Ela é essencial para reinventar as coisas e pode ser usada para criar novas soluções de algum obstáculo e até mesmo no desenvolvimento sustentável das cidades, seja no empreendedorismo, ou facilitando a criação de empregos. A capacidade de criar é tão importante que foi até criado o World Creativity Day (Dia Mundial da Criatividade), celebrado em 21 de abril. A data entrou para o calendário oficial da Organização das Nações Unidas (ONU) em 2017 com o objetivo de ressaltar a importância da inovação e desenvolvimento sustentável. No Brasil, o dia começou a ser celebrado pelo paulistano Lucas Foster. Em 2014, o fundador da ProjectHub e idealizador do Prêmio Brasil Criativo, uma das principais referências em economia criativa do País, teve a ideia de ressaltar a criatividade em um evento gratuito que mostrasse a importância da inovação. Neste ano, a segunda edição do Dia Mundial da Criatividade contou com shows, palestras e workshops em 53 cidades do Brasil. Em Campinas, a data foi lembrada com diversas atividades nos espaços no Sete Criativo, PUC-Campinas (Campus I), CIS Guanabara, weme, Carroça Medieval, IDE Escola de Arte e Alma Coliving. Neste ano, além de englobar 17 estados brasileiros, o DMC aconteceu também em Portugal, Alemanha e Sérvia.

Como desenvolver
Segundo a criadora do Espaço Sete Criativo e líder local do Dia Mundial da Criatividade em Campinas, Paula Franceshini, todas as pessoas são criativas, algumas demonstram essa habilidade mais facilmente, mas todas são capazes. Existem maneiras de se desenvolver a habilidade, como por exemplo, ampliar o repertório para poder fazer novas conexões, exercitar novos hábitos que façam com que as pessoas não vivam no piloto automático e estar dispostas a errar. Uma pesquisa do Linkedin, de janeiro de 2019, mostrou que a criatividade é a capacidade humana mais desejada pelas empresas. Há maneiras de estimular a criatividade seja no trabalho, no dia a dia e para o corpo e a mente, segundo três profissionais que dão as dicas. E isso, deve ser trabalhado desde cedo.

Criatividade no trabalho ou na hora de empreender
A criadora do Espaço Sete Criativo e líder local do Dia Mundial da Criatividade em Campinas, Paula Franceshini, explica que praticar essa capacidade humana no ambiente de trabalho faz com que voce? demonstre flexibilidade frente a?s dificuldades, buscando soluc?o?es quando aparentemente elas na?o existem. “E? nesse sentido que acredito que a habilidade e? uma aliada para voce? se destacar no ambiente de trabalho, quando a criatividade esta? voltada a encontrar novas formas de ver ou fazer as coisas, melhorando processos, entregas e servic?os. Vai ale?m da criac?a?o de novos produtos ou na invenc?a?o em si, no ato de criar, mas aplicar a criatividade a desafios reais, seja dentro das empresas (sendo um intraempreendedor) ou mesmo empreendendo”, diz Paula. Segundo a empresária, existem três pontos muito importantes no esti?mulo da capacidade de criar.
“O primeiro e? sabermos do que somos capazes, que esse potencial esta? em no?s e desmistificar a criatividade como algo ma?gico que esta? presente em apenas algumas pessoas. O segundo e? a cultura da permissa?o ao erro. Willian McKnight, um grande li?der da 3M e inspirador, dizia que se tivermos uma lideranc?a destrutivamente cri?tica diante de erros cometidos ela mata a iniciativa e para crescermos precisamos de pessoas com iniciativa. É importante entender que erros fazem parte do processo de criatividade e inovac?a?o, na busca de soluc?o?es do dia a dia. O importante e? aprender rapidamente com eles”, explica. Já o terceiro passo é ampliar o conhecimento e o reperto?rio. “No?s na?o seremos criativos se na?o formos curiosos e se na?o nos dispusermos a conhecer mais sobre assuntos diversos. A criac?a?o na?o nasce do zero, no?s criamos com base em coisas existentes. Quanto mais coisas soubermos, e quanto mais tivermos essa postura de conectar esses conhecimentos, mais podemos ser criativos”, explica.
Brincar estimula a criatividade nas crianças
Para a empresária, é importante estimular a habilidade desde cedo. “Nas crianc?as, a criatividade e? mais ativa e presente, porque ainda na?o bloquearam seus olhares e na?o criaram paradigmas como os adultos. No?s podemos estimular a criatividade em nossas crianc?as deixando que elas sejam crianc?as, incentivando a curiosidade e essa mente borbulhante que fantasia, que encontra o possi?vel na imaginac?a?o e nas ideas”, afirma Paula. E o brincar é o jeito mais simples de conseguir essa proeza. “Quando a gente brinca, a gente cria. E brincar de tudo. Quanto mais se mostra a uma crianc?a, no sentido de conhecer coisas diferentes - visitar lugares diferentes, ir à apresentac?o?es, mostrar novos livros e brincar de inventar brinquedos, mais ela amplia seu reperto?rio e e? uma forma de alimentar a nossa criatividade”, diz.

Criatividade para o corpo e mente
Para o terapeuta e idealizador da Ramarante, plataforma on-line de terapias, Ricardo Amarante , existe uma técnica bem criativa chamada I Qi Gong, que é uma forma de cultivar a energia do corpo e fortalecer o cultivo do ar vital. “Essa técnica estimula a estrutura física, estrutura emocional e a oxigenação do corpo para gerar novas conexões neurais e insights. Tudo isso gera um equilíbrio de mente, corpo, autoconhecimento e aumenta o potencial criativo. Ele pode sugerir três práticas que os leitores podem fazer em casa para o bem-estar”, explica o terapeuta:
Despertar a atenção para seu corpo
“Em pé, fechar os olhos de frente para um espelho grande, se alinhar, perceber ainda com os olhos fechados se os ombros estão relaxados e abaixados, se os dois estão na mesma altura, desfranzir a testa, relaxar a mordida na boca deixando os dentes levemente entre abertos, colocar os pés em paralelos na largura dos ombros e os joelhos levemente flexionados. Depois de alguns segundos, sem pressa, abrir os olhos e verificar se a imagem que você está vendo condiz com o que você estava percebendo como os olhos fechados”.

Despertar a atenção para respiração
“ Sentar confortavelmente em uma cadeira com os dois pés no chão, as mãos em cima das pernas e as costas bem eretas, fechar os olhos e respirar de forma consciente, inalando pelo nariz e soltando o ar pela boca. Pode começar bem lento, depois ir acelerando até o mais rápido que conseguir e  voltar ao ponto lento de onde começou. Repetir por 5 vezes. Depois inalar em 3 segundos pelo nariz, ficar sem respirar com pulmão cheio por 3 segundos e  soltar o ar pela boca em 3 segundos e ficar sem ar no pulmão por 3 segundos, se não agüentar, pode ser 2 segundos, e com a prática pode chegar até 7 segundos. Repetir por uns 10 minutos”.
 
Despertar a atenção para os sentidos do seu corpo
“ Em pé ou sentado, depois do exercício da respiração consciente, fechar os olhos e começar a perceber todos os sons a sua volta, todos mesmo, dos sutis aos barulhentos, ativar o olfato tentando identificar cheiros que estão no ar, depois começar a engolir a saliva lentamente percebendo o gosto em toda a boca. Por último, perceber o tato através do contato do seus pés no chão e, no caso de estar sentado, toda a superfície do seu corpo que estiver em contato com a cadeira e, em seguida, perceber o ar passando por toda sua pele que estiver exposta, como pernas, braços e rosto. Você pode repetir quantas vezes quiser durante o dia”.

Criatividade no autoconhecimento e no dia a dia
Otimizar o dia a dia é o desejo de muita gente, afinal de contas, partimos de um contexto que só temos 24 horas por dia e 365 dias por ano. Segundo Tiago Petreca, fundador da Kuratore e coaching, que auxilia pessoas a se autoconhecerem e atingirem seu potencial criativo, o que se diz ou o que se espera é que as pessoas tenham um maior nível de produtividade, ou seja, que conquiste, realize ou faça mais coisas do que está fazendo hoje. “É importante olharmos para o significado. Então o que significa otimizar, ou seja, deixar alguma coisa ótima? O que temos que tomar cuidado é que otimizar algo não quer dizer fazer muito mais coisas, mas sim, fazer aquilo que é prioridade de um jeito bem feito. Às vezes, deixar algo otimizado pode tomar mais tempo, mas gera um fruto mais saboroso”, explica o coaching.
Para atingir o potencial criativo, Petreca revela que uma série de abordagens mostra o quanto na verdade a pessoa vai perdendo a criatividade de acordo com o tempo, criando travas, visões de mundo baseados na sociedade e modelos mentais que acabam bloqueando o potencial criativo. “Quando éramos crianças ele já estava presente em nós. O potencial é tudo aquilo que promete algo na sua melhor performance, aquilo que pode vir a ser. Todas as nossas constituições sociais criaram muros que foram bloqueando esse potencial”, diz. Mas como é que eu saio da minha própria frente para resgatar meu potencial criativo? “A proposta é voltar a ser criança para resgatá-lo e a primeira coisa é brincar. Não quer dizer que é sairmos e brincar de boneca no trabalho. Mas olha como a criança junta uma série de coisas, faz a cama virar um ambiente de luta, uma caixa de papelão vira casa de boneca e a boneca na verdade é um sabugo de milho, ou seja, ela sai criando uma série de combinações. Essa é a capacidade de juntar diversos elementos que geram a criação”, diz. Segundo o coucher, a natureza é grande referência do que é ser criativo. Na parte prática existe o conceito da Singularity University (universidade no Vale do Silício união do Google e da NASA) que sugere cinco áreas de estudos sobre quais as áreas devem repousar, o STEAM (Science, Technology, Engineering, Arts e Mathematics - Ciência, Tecnologia, Engenharia, Arte e Matémática). “Recuperar o modo criança de criar, é juntar essas cinco áreas e julgamentos prévios. Juntando um pouco de ciência, tecnologia, engenharia, artes e matemática, com uma capacidade de brincar, imagina só o que você vai criar”, completa.

Dicas de filme e livro
Para mostrar a importância de ser criativo, a criadora do Espaço Sete Criativo e líder local do Dia Mundial da Criatividade em Campinas, Paula Franceshini, dá sugestões de filme e livro para servir de inspiração.
Filme
‘O Menino Que Descobriu o Vento’
O protagonista do filme mostra como ele conectou o pouco que conseguiu aprender na escola para salvar sua fami?lia da fome e mudar a histo?ria da sua comunidade.

Livro
Para os pais que gostariam de pensar na educac?a?o dos filhos, a sugestão do livro de Rubem Alves, ‘A Educação dos Sentidos’.

Escrito por:

Daniela Nucci