Publicado 11/06/2019 - 14h48 - Atualizado 11/06/2019 - 14h48

Por Estadão Conteúdo

William Arão é titular absoluto do Flamengo

Divulgação

William Arão é titular absoluto do Flamengo

Após oito rodadas do Campeonato Brasileiro, o Flamengo ocupa a quinta colocação com 14 pontos. Está cinco atrás do líder Palmeiras, que pode ser oito caso o time paulista confirme a vitória sobre o Botafogo em um julgamento no STJD. Mesmo com essa distância, tem gente no clube carioca que ainda acredita em uma virada na tabela de classificação. É o caso do volante William Arão, que lembrou nesta terça-feira do que aconteceu em 2018.
"O campeonato não acabou ainda. Ano passado, antes da parada da Copa (do Mundo da Rússia), estávamos oito pontos na frente do Palmeiras e eles foram campeões. Se o Palmeiras vencer todos os jogos e for campeão, parabéns para ele. A oscilação é normal e temos que estar preparados. Há dois confrontos que dependem da gente. Desde 2003, não lembro de nenhum campeão invicto. O Palmeiras vai perder também", afirmou o volante rubro-negro, em entrevista coletiva no CT Ninho do Urubu, na zona oeste do Rio de Janeiro.
Para tentar encostar no Palmeiras, William Arão sabe que o Flamengo precisa vencer. O próximo compromisso, o último antes da parada do calendário para a disputa da Copa América, será nesta quarta-feira, às 21h30, contra o CSA, no estádio Mané Garrincha, em Brasília - o clube alagoano vendeu o mando da partida pela nona rodada.
O volante comentou também sobre a chegada do técnico Jorge Jesus, apresentado oficialmente na última segunda-feira, mas que só começará a trabalhar no próximo dia 20. William Arão destacou a carreira vitoriosa do português e disse que o elenco vai tentar se ajustar ao seu estilo o mais rápido possível.
"O Jorge Jesus nos traz uma experiência muito grande, uma outra visão sobre o jogo, aspectos importantes. Não foi campeão à toa. Tive a oportunidade de trabalhar com o professor Abel (Braga), Muricy (Ramalho), que também são multicampeões. Esperamos assimilar o mais rápido possível", completou.

Escrito por:

Estadão Conteúdo