Publicado 13/08/2019 - 10h39 - Atualizado 13/08/2019 - 10h39

Por Carlos Rodrigues

Nova derrota em Dérbi e a queda para a última posição da Série B aumentam a pressão sobre o presidente do Guarani, Palmeron Mendes Filho: oposição pede saída do dirigente

Letícia Martins/Guarani FC

Nova derrota em Dérbi e a queda para a última posição da Série B aumentam a pressão sobre o presidente do Guarani, Palmeron Mendes Filho: oposição pede saída do dirigente

Não bastassem as turbulências dentro de campo, com derrota no Dérbi e a queda para a última posição da Série B, o ambiente do Guarani fora das quatro linhas, principalmente no âmbito político, volta a ficar quente. Isso porque ontem à tarde um grupo de conselheiros da oposição protocolou um pedido de impeachment do presidente Palmeron Mendes Filho e de outros membros do Conselho de Administração.
No documento, membros do grupo Hoje e Sempre Guarani, que são maioria no Conselho Deliberativo eleito no mês passado, acusam a atual de diretoria de irregularidades. "As fundamentações são muitas, dentre elas procedimentos totalmente contrários ao nosso estatuto, como a terceirização da base, que deveria passar por uma assembleia, aumento do passivo trabalhista, empréstimos sem autorização e a falta de transparência que existe hoje dentro do Guarani", disse o advogado Paulo Souza, um dos conselheiros que assinaram o pedido. "Esse procedimento é de março e só não foi para avaliação porque o Conselho não estava atuando. O descontentamento vem de muito tempo".
Procurado pela reportagem, o presidente Palmeron Mendes Filho disse que é um direito da oposição fazer o pedido e que só vai se pronunciar sobre isso depois que receber um cópia do documento. Para que o pedido de impeachment seja levado adiante, ele deve ser analisado e aprovado pelo Conselho e, então, os associados votam se são favoráveis ou não ao afastamento. Um rumor que surgiu nos bastidores é que Palmeron pediria um afastamento do cargo, mas isso não foi confirmado.
Em meio a mais uma polêmica, o elenco bugrino se reapresentou ontem após perder o Dérbi e a volta aos trabalhos foi em absoluto silêncio. Com os outros resultados, a equipe, que tinha a chance de deixar a zona de rebaixamento com uma vitória no Moisés Lucarelli, terminou a 15ª rodada na última posição, com 13 pontos. Agora, a preparação é para o próximo compromisso, marcado para sexta-feira, às 21h30, no Brinco de Ouro contra o Vila Nova, concorrente direto na luta contra o rebaixamento.
Para o técnico Roberto Fonseca, o Guarani não pode se abalar após o revés no clássico e a reabilitação precisa ser imediata. "Se a gente tivesse ganhado, estaria falando que é para abaixar a adrenalina e voltar para o campeonato. Como perdeu, precisamos contar novamente com nosso torcedor. Sabemos que se quisermos ver o Guarani no ano que vem na Série B, temos que percorrer um caminho muito longo. E esse jogo do Vila Nova faz parte desse caminho".

Escrito por:

Carlos Rodrigues