Publicado 30/09/2019 - 15h03 - Atualizado // - h

Por Daniela Nucci

O destaque da biblioteca fica por conta do mobiliário do ambiente, organizado em tamanhos e alturas diferentes.

Divulgação

O destaque da biblioteca fica por conta do mobiliário do ambiente, organizado em tamanhos e alturas diferentes.

A terceira edição da Mostra Sustentável foi além da transformação e repaginada das instalações da Fundação Síndrome de Down (FSD), entidade contemplada com a iniciativa, aberta ao público para visitação até o dia 13 de outubro, em Barão Geraldo. Uma biblioteca infantil foi construída na Praça Pedro Cané, também restaurada no mesmo projeto. Para a formação de um acervo diversificado, a Mostra fará uma campanha de arrecadação de livros com os profissionais e visitantes. Quem fizer doação de livros infanto-juvenis no período de 1º a 13 de outubro terá 20% de desconto no valor integral do ingresso.
Considerada o portal de entrada da exposição de arquitetura e decoração, a biblioteca foi projetada para receber simultaneamente até 20 pessoas. Como a objetivo é atender crianças do Ensino Fundamental, todo o mobiliário está organizado em tamanhos e alturas adequados. As estantes construídas para acomodar diversos tipos de livros e revistas estão fixadas em alturas variadas, facilitando o acesso às publicações. As mesas são modulares e coloridas, o que permite mudar o layout conforme o uso. Destaque para os pufes que proporcionam um ambiente ideal para que as crianças possam ouvir histórias.
Durante a Mostra, a biblioteca funciona como bilheteria. Uma vez encerrado o período de visitação, a estrutura será doada à Prefeitura Municipal de Campinas para atender as crianças da FSD, da Cemei Profa. Leonor Motta Zuppi, localizada na mesma rua, e os moradores de Barão Geraldo.
Único ambiente 100% construído na Mostra Sustentável, a biblioteca possui uma edificação com alto grau de ecoeficiência. Trata-se da primeira biblioteca da América do Sul construída pelo método Wood Frame, processo tecnológico inteligente de produção com baixa emissão de CO² - cerca de cinco vezes menos que em construções convencionais -, que não utiliza água, não gera muito resíduo e é muito rápido.
As paredes são produzidas em fábrica e transportadas até o local da obra onde são montadas com auxílio de guindaste. Já vêm com todas as instalações prontas para os acabamentos, agilizando a edificação. Desenvolvido pelos arquitetos Roseana Desenso Monteiro e Elton Casarin, o projeto considerou o posicionamento em relação ao sol e correntes de vento, visando o conforto e eficiência ambiental, com aproveitamento da luz natural e ventilação cruzada, reduzindo o consumo de energia. A cisterna coleta água de chuva, que foi usada na construção e que, agora, serve para molhar o jardim do entorno e lavar os pisos, quando necessário.
Espaços de convivência na praça
A biblioteca está instalada na Praça Pedro Cané, revitalizada para oferecer novos espaços de convivência, tanto para os alunos da Fundação Síndrome de Down quanto para a comunidade, uma vez que todas as melhorias serão doadas à municipalidade. Desenvolvida pela paisagista Helena Overmeer,a praça foi batizada de “Como Somos”. Inspirado no formato do DNA e no cromossomo 21, o desenho da praça contempla vários espaços com propostas diferentes, ratificando a disposição de acolher a todos com vontades e necessidades diversas.
A revitalização da praça “Como Somos” foi inspirada no cromossomo 21. Tem no centro um caminho de tijolos entrelaçados com plantas que atravessa o espaço, formando o desenho de uma dupla hélice, usada para descrever a estrutura do DNA. A praça foi estruturada em vários pequenos espaços, como o Pátio de Jogos, com mesas de cimento para jogar xadrez e cartas; Pátio de Estudo, formado por mesas comunitárias de madeira para ler e estudar ou fazer piquenique; Pátio de Convívio, com um fogo de chão para reuniões diversas e Pátio do Cromossomo, uma estrutura de bambu na forma de DNA, feito para as crianças brincarem com o equilíbrio. Um destaque são os Morros Sustentáveis, que deram uma finalidade útil ao entulho da obra da Mostra. Cobertos com grama, os resíduos se transformaram em pequenas colinas para brincadeiras de sobe e desce. O projeto de revitalização contou com mão de obra disponibilizada pelo projeto “Mão Amiga", que busca a capacitação e a ressocialização de ex-moradores de rua.

Sobre a Mostra
A Mostra Sustentável é um projeto de arquitetura e paisagismo, arte e design de interiores, gastronomia e educação, que congrega profissionais do setor, sociedade civil, poder público e iniciativa privada para a promoção do desenvolvimento sustentável. Na Fundação Síndrome de Down são mais de 40 ambientes criados por cerca de 80 profissionais, proporcionando aos visitantes ideias muito criativas, interessantes e fáceis de aplicar em casa - na sala, na cozinha, no quarto, no banheiro - ou em escritórios e consultórios. São sugestões muito práticas demonstrando que é possível, sim, ter criatividade e ser ecologicamente correto ao mesmo tempo. A exposição sempre acontece em benefício de uma instituição privada, sem fins lucrativos, com forte impacto social e de reconhecida gestão. Os ambientes decorados e em exposição são projetados com a inclusão de técnicas, conceitos e produtos sustentáveis. Nos anos anteriores, a Mostra Sustentável beneficiou o Lar dos Velhinhos e o Serviço Social Cândido Ferreira, ambos em Campinas.
Biblioteca/ Bilheteria
Único ambiente na Mostra 100% construído “do zero”. Trata-se da primeira biblioteca na América Latina erguida pelo método Wood Frame de construção, que não utiliza água durante o processo, não gera muito resíduo e é muito rápido. De porte médio, a proposta é atender crianças e adultos e, por isso, o mobiliário do ambiente foi organizado em tamanhos e alturas diferentes. As estantes estão fixadas em alturas variadas e as mesas são modulares e coloridas, permitindo mudança no layout conforme a necessidade de uso. Destaque para os pufes que proporcionam um ambiente ideal para que as crianças possam ouvir histórias. Para usuários digitais, há espaço para computador. A cobertura é de telhas sanduíche em alumínio pintado de branco, para maior reflexão do calor. Trata-se de uma edificação com alto grau de ecoeficiência, pois a concepção do projeto levou em consideração o posicionamento em relação ao sol e correntes de vento, com aproveitamento da luz natural e ventilação cruzada, sem a necessidade de ar-condicionado ou muitos pontos de luz. Há cisterna para coletar água de chuva, visando a molhar o jardim do entorno e lavar pisos, quando necessário.
Destaque: Método Wood Frame de construção seca que, além de limpo, é muito rápido. A Biblioteca ficará como legado da Mostra Sustentável para atender os cidadãos da municipalidade e também para uso da FSD. Durante o evento tem a função de bilheteria.

Praça COMO SOMOS
Inspirado no formato do DNA e no cromossomo 21, um caminho de tijolos entrelaçados com plantas atravessa a praça de um lado para o outro e forma o desenho de uma hélice helicoidal de DNA. Foi estruturada em vários pequenos espaços. O Pátio de Jogos tem mesas de cimento para jogar xadrez, cartas ou, simplesmente, conversar sob a sombra. O Pátio de Estudo tem mesas comunitárias de madeira para ler e estudar em apoio à biblioteca infantil, mas pode também ser utilizado para piqueniques. A rede suspensa entre os paus-ferros é para brincar, deitar, ler ou apenas observar as nuances de verde das copas das árvores. No Pátio de Convívio há um fogo de chão para reuniões diversas e um banco feito de um tronco só. O Espaço do Ar conta com balanços presos aos galhos de um “João Bolão” e o Pátio do Cromossomo é uma estrutura de bambu na forma de DNA, feito para as crianças brincarem com o equilíbrio. Os Morros Sustentáveis - que deram um fim útil a uma parte do entulho da obra da Mostra, que foi coberto com grama - se transformaram em pequenas colinas para brincadeiras de sobe e desce.
Destaque: Toda a mão de obra da praça foi oferecida pelo projeto “Mão Amiga", que dá oportunidade de trabalho para pessoas em situação de rua

Espaço Boas-vindas

Ambiente contemporâneo com qualidade estética e funcional que prioriza o reuso de materiais descartados, aumentando seu ciclo de vida.

Loft UP

O nome Loft UP surgiu como um contraponto à palavra Down e, também, como uma alusão à expressão Lift Up, que significa “levantar”

Cozinha da Família

Lançamento do pendente CAPITÃO, com premissa da customização. Ninguém é igual, portanto, as peças de uma casa também não precisam ser.

Estar para relaxar

O ambiente foi pensado para trazer o Brasil no contexto da sustentabilidade e mostrar que é possível ser chique, estar antenado com as tendências da moda e do design e ser sustentável

Restaurante Vila 21
Domínio do verde, valorizando o conceito urbanjungle (floresta urbana) design biofílico, que alia contato com a natureza e sensações de bem-estar e relaxamento


Serviço
Mostra Sustentável 2019
Data: Até 13 de outubro, de quarta-feira a domingo.
Horário: De quarta a sexta-feira: das 15h às 21h; sábados, domingos e feriados: das 11h às 19h.
Local: Fundação Síndrome de Down (Rua José Antônio Marinho, 430, Barão Geraldo, Campinas).
Ingressos: R$ 25,00 (inteira), R$ 12,50 (meia-entrada), R$ 10,00 (revisita). Para os idosos do Lar dos Velhinhos de Campinas e pacientes do Serviço de Saúde Cândido Ferreira, as visitas serão gratuitas, mediante agendamento.
Vendas: Somente na bilheteria do evento, aberta até às 19h30.
Informações: contato@mostra.com.br ou (19) 99121 0262.

Escrito por:

Daniela Nucci