Publicado 08/10/2019 - 23h45 - Atualizado 08/10/2019 - 23h46

Por Paulo Santana

Roger marcou dois gols, sofreu pênalti e no final da partida desabafou:

Wagner Souza/AAN

Roger marcou dois gols, sofreu pênalti e no final da partida desabafou: "O torcedor cobra de quem ele sabe que pode dar um pouco mais"

Com atuação destacada do atacante Roger, a Ponte Preta venceu o Londrina, por 3 a 1, nesta terça-feira (8) à noite, no Estádio Moisés Lucarelli, e voltou para a “parte de cima” da tabela de classificação da Série B do Campeonato Brasileiro. Com 38 pontos ganhos, a Maca está em nono lugar, novamente a apenas três pontos do G4, e se dá o direito de seguir sonhando com o acesso.
No duelo desta terça, Roger sofreu o pênalti que abriu o caminho da vitória (gol de Renato Cajá) e marcou os outros dois. Léo Passos descontou para os visitantes.
Agora, a Ponte concentra todas suas forças para o encontro com o Oeste, sexta-feira, às 21h30, em Barueri. Depois, jogará com o Atlético-GO, novamente fora de seus domínios.
O jogo foi marcado por um primeiro tempo recheado de emoções e tensões. Afinal de contas, não é todo dia que acontecem três gols e são distribuídos sete cartões amarelos em apenas 45 minutos de bola rolando. Logo aos 35 segundos, o juiz anotou pênalti quando Roger foi segurado na área por Lucas Costa. Renato Cajá bateu com categoria, sem chances de defesa, e abriu o placar logo aos 2'.
A tranquilidade já estava acabando quando a defesa da Ponte vacilou e Léo Passos deixou tudo igual no placar. Renan Fonseca ficou pelo caminho, Reginaldo e Ygor Vinhas não se entenderam, mas o atleta paranaense estava esperto e se antecipou aos marcadores para empatar, aos 22', na bola que veio da direita.
A Ponte não se abateu e seguiu pressionando. Acabou premiada aos 30'. Diego Renan fez cruzamento perfeito e Roger, bem posicionado na área, tirou do goleiro para recolocar a Macaca na frente. Um belo gol do artilheiro alvinegro.
O Londrina voltou para o segundo tempo disposto a empatar. Aos 12', Moritz bateu falta com violência e Ygor Vinhas saltou no canto para espalmar. No rebote, Higor Leite tentou, mas o goleiro da Ponte se levantou e teve tempo para fazer a segunda defesa importante na mesma jogada.
O terceiro gol premiou o empenho do atacante Roger. Renato Cajá iniciou a jogada no meio, acionou o lateral Guilherme Guedes, que chegou ao fundo do campo e cruzou. Roger, entre os zagueiros, cabeceou no canto e o goleiro aceitou: 3 a 1, aos 33'.
Na saída do gramado, o artilheiro do time e destaque da noite deixou no ar um sentimento de tristeza. “O torcedor cobra de quem ele sabe que pode dar um pouco mais. Daquele que joga machucado, que não se abate e que não se entrega nunca. De qualquer forma, fico feliz pela vitória que deixa a gente vivo na competição.”

Escrito por:

Paulo Santana