Publicado 07/10/2019 - 14h20 - Atualizado 07/10/2019 - 14h20

Por Daniela Nucci e Alisson Negrinho


Leandro Torres/AAN

"O Brasil sempre esteve no topo dos países que mais investem em academias, porém, nos últimos anos, esse aumento foi exponencial, especialmente pelo fato de a população estar mais preocupada com a saúde e o bem-estar", diz a personal trainer Marcela Mendes de Siqueira

 O mercado fitness nunca esteve tão em alta no Brasil. Na contramão da crise econômica e da recessão no País, o setor que envolve academias, varejo, entre outros serviços, esbanja saúde e ganha musculatura. O número de praticantes de atividades físicas cresceu 24% nos últimos 11 anos, segundo dados do Ministério da Saúde. Hoje, a indústria de atividades físicas movimenta US$ 2,1 bilhões no Brasil ao ano e detém a maior receita da América Latina e a terceira das Américas. Segundo dados da IHRSA, associação internacional de fomento ao universo de saúde e exercícios, no ano passado existiam mais de 24 mil academias no Brasil, colocando-o como a segunda nação do mundo com maior concentração de estabelecimentos do tipo, perdendo apenas para os Estados Unidos. Em Campinas, atualmente, existem cerca de 280 academias em funcionamento. Há cinco anos elas eram 242. Um crescimento de 15,5% no período, cerca de 2,90%, ao ano. Essa atividade movimenta aproximadamente cerca de R$ 400 milhões no faturamento anual do setor de serviços em Campinas. O crescimento do mercado fitness é resultado de uma cultura cada vez mais estruturada no Brasil, ligada aos cuidados com a saúde, corpo e mente. “O Brasil sempre esteve no topo dos países que mais investem em academias, porém, nos últimos anos, esse aumento foi exponencial, especialmente pelo fato de a população estar mais preocupada com a saúde e o bem-estar”, diz a personal trainer Marcela Mendes de Siqueira, graduada em educação física e pós-graduada em fisiologia do exercício. Além das academias, o aumento do uso das áreas públicas como praças, parques e ciclovias tornaram a atividade física mais democrática e um momento de lazer para toda família. “Outro fator que eleva o crescimento deste mercado é o aumento da expectativa de vida, as pessoas querem envelhecer bem, ter mais mobilidade, autonomia e qualidade de vida", diz Marcela.  
Associada à procura por uma vida mais saudável, a personal destaca que a tecnologia auxilia e maximiza a prática de atividades físicas, garantindo resultados mais rápidos e positivos. “O segmento fitness conta hoje com aparelhos modernos, equipamentos de monitoramento, roupas e calçados inteligentes, que tornam a experiência do praticante mais interessante. As lojas especializadas disponibilizam frequencímetros cardíacos, sensores, chips, aplicativos, calçados com alto amortecimento e roupas com nanotecnologia que mantém a respirabilidade da pele e controlam o calor e o odor”, diz. Por outro lado, o aumento indiscriminado da atividade física sem orientação pode levar também ao aumento de lesões, dores e desconfortos. “Nesse cenário, é importante a procura e valorização do profissional de educação física, apto para prescrever, orientar e supervisionar a prática de exercícios físicos. A figura do personal trainer se destaca pela individualização de procedimento, técnica e prescrição, direcionados a cada indivíduo”, diz. A orientação começa pela anamnese minuciosa (avaliação em formato de questionário para conhecer detalhadamente o histórico e as expectativas do aluno) até chegar na periodização do treinamento.  Para o aluno, diversos são os benefícios do treinamento personalizado. Além do comprometimento com os dias e horários de exercício (o que traz a habitualidade) há também o resultado mais rápido e seguro. “A motivação diária e a mudança dos estímulos faz com que o aluno não caia na rotina e consiga perdurar na prática da atividade física ao longo dos anos. Junto com o profissional, ele consegue otimizar o tempo e potencializar seus resultados. Boa alimentação, prática regular de exercícios, orientados por um profissional e equilíbrio emocional são as chaves para se viver bem, viver mais e com saúde", esclarece Marcela. Exemplo seguido por uma de suas alunas, a empresária do ramo de acessórios, Juscélia Denardi Luz Guzela, de 49 anos. Há 27 anos, faz assiduamente academia e, nem nas duas gestações parou. “Sempre gostei de praticar exercícios, além de buscar uma alta performance. Mudo muito de cidade e a primeira coisa que vejo é a academia para depois ver um lugar próximo para morar. Sou muito elétrica e sempre treinei sozinha”, diz. Há cinco anos, treina com Marcela e notou um ganho muito expressivo. “Antes tinha muitas dores no joelho e quadril. O personal é muito importante nos treinos, principalmente, para quem está começando. Ele orienta e não te deixa fugir ou fazer de forma errada”, diz a empresária, que convenceu a família. “Meu marido e meus filhos também fazem atividade física e temos uma boa alimentação. As pessoas estão mais antenadas com a qualidade de vida. Há 30anos, fazer academia era um luxo. Hoje é um investimento para cuidar da saúde”, diz Juscélia, que segue um ritual para amenizar a menopausa. “Vivo de olho com nutrólogo, dieta e suplementos, além de fazer meditação e ioga. Tudo isso é um conjunto que resulta numa mente e corpo saudável que me traz bem-estar para viver plenamente”.
Planejamento individualizado
Emagrecimento, evolução, resultados mais rápidos e segurança para evitar lesões. Estes são os motivos apontados pelo personal trainer Wesley Yodono para o aumento na procura dos serviços. Com pós-graduação em bioquímica, fisiologia e treinamento esportivo pela Unicamp, o professor atua como personal desde 2016, em Campinas e região. Com o passar do tempo, sua clientela cresceu consideravelmente. Yodono conta atualmente com 30 alunos entre clientes de personal, grupos reduzidos de treino funcional e consultoria on-line. Ele explica que o trabalho individualizado é capaz de potencializar os treinos. “É comprovado que os resultados são melhores e os motivos para isso são vários. Envolve o planejamento elaborado que é feito de uma forma mais eficaz, a possibilidade de um trabalho multidisciplinar alinhado com nutricionistas e, se for o caso, com médicos e fisioterapeutas, a segurança por estar o tempo todo ao lado e a motivação do aluno”, diz. Antes de dar início ao treino com o aluno, o professor busca entender como a pessoa está naquele momento, qual o motivo dela procurar o trabalho de personal e quais seus objetivos. Após isso, é montado o planejamento e apresentado o método que será utilizado. Conscientizar sobre a importância do exercício físico, o quão importante é a progressão e o descanso para a evolução, estão entre os grandes desafios de Wesley. Tudo isso, entretanto, é recompensado ao ver os resultados sendo atingidos. “Vê-los alcançando seus objetivos não tem preço. É muito gratificante”, concluiu.
Palestra mostra novidades na moda
A expansão do mercado fitness reflete em outros segmentos, como o varejo. Basta andar na rua para ver pessoas usando tênis de corrida, jaquetas esportivas impermeáveis, tops, calça de ginástica, a caminho de um encontro com os amigos para o almoço, um cinema ou passeio no shopping. Ou seja, a roupa da academia ganhou as ruas. Em Campinas e região são, atualmente, 265 estabelecimentos de moda e acessórios ligados aos segmentos de estética e fitness, que movimentam R$ 220 milhões ao ano. Pesquisa feita pelo Google mostrou que as compras de roupas fitness pelo e-commerce dobrará sua participação no faturamento do varejo até 2021, crescendo em média 12,4% ao ano. Isso aponta que as vendas deverão dobrar em cinco anos, chegando a R$ 85 bilhões. Por estar atento às novidades do setor de moda, será realizado o evento Retail Meeting Moda durante a 7ª Semana de Negócios e Empreendedorismo da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC), das 18h às 21h30, no Shopping Iguatemi Campinas, no 3º piso. Inscrições e informações: (19) 2104-9200 | https://semanane.com.b/.
Um dos palestrantes, o empresário Giulliano Puga, sócio-fundador da marca de roupa fitness Labellamafia, contará seu case de sucesso no debate ‘O Mercado de Moda e o Perfil desse Consumidor’ dentro da programação, no dia 17 de outubro. A grande sacada de Puga foi produzir peças que unem conforto, estilo e atitude. As roupas são pensadas para ser usadas antes, durante e depois da malhação, ganhando as ruas e outros ambientes, além das academias. Tudo começou quando Puga e sua esposa, a empresária Alice Matos, começaram a vender as roupas na praia, quando ainda eram namorados. Ela vestia as peças e ele ia com alguns produtos na mochila para vender. O número de clientes aumentou. Foi então que os empresários resolveram apostar nas redes sociais, quando ninguém ainda dava a devida atenção para o potencial desses canais.
Tecnologia de ponta e designer
Em Campinas, muitas empresas do ramo investem em novas tecnologias como grandes diferenciais. “Começamos a fazer moda fitness em 1995 e o mercado era muito diferente com peças básicas, sem muitas opções de modelos, tecidos diferenciados. O mercado evoluiu muito, tanto na questão da tecnologia do tecido quanto da qualidade e utilidade das peças”, conta o empresário Luiz Henrique Camargo, da  Projeto Sport. A confecção utiliza tecido com proteção UV, antitranspirante, e corte a laser. “A poliamida está presente em diferentes peças, pois é um tecido sedoso e flexível, que permite muito conforto e mobilidade. Fazemos peças pensando no bem-estar das pessoas”, diz. “Investimos na qualidade do tecido. Dependendo da roupa pode atrapalhar o treino, dificultar a movimentação, provocar doenças de pele, acumular suor e aumentar a sensação de calor. Tudo isso é muito bem pensado por nossa equipe de criação quando desenvolvemos uma peça nova”, destaca Camargo. Entre as novidades está o tecido que esconde celulite. Feito de poliamida elastano, ele é mais grosso e não é transparente.
Na loja Darrê (fitness e casual), as clientes contam com peças que possuem fibra de nylon 6.6 especialmente desenvolvida para reduzir a temperatura do corpo e refrescar a medida que a temperatura sobe. “Elas são leves, macias e muito confortáveis. É uma sensação de frescor com alta tecnologia”, diz a proprietária Renata Lencastre Gugliotta. Para proteger do sol, a loja ainda conta com roupas com tecidos com nível de bloqueio dos raios UVA e UVB superior a 96%, protegendo a pele nos exercícios ao ar livre, e que não sai na lavagem. “Ajuda a evitar o envelhecimento precoce e protege a pele contra o câncer de pele”, diz a empresária. 

Escrito por:

Daniela Nucci e Alisson Negrinho