Publicado 08/11/2019 - 10h25 - Atualizado 08/11/2019 - 10h25

Por Maria Teresa Costa

O prédio do Ambulatório Médico de Especialidades de Campinas está localizado no Parque Itália

Wagner Souza/AAN

O prédio do Ambulatório Médico de Especialidades de Campinas está localizado no Parque Itália

A OSS Santa Casa de Misericórdia de Franca será a gestora do Ambulatório Médico de Especialidades de Campinas (AME Campinas). A entidade foi escolhida em convocação pública entre oito organizações sociais de saúde que apresentaram propostas de gestão da unidade. Conforme despacho da Secretaria de Estado da Saúde, publicado ontem no Diário Oficial, a fundação atendeu ao projeto assistencial encaminhado pelo Departamento Regional de Saúde VII - Campinas e sua proposta orçamentária se mostra viável. A previsão é que o serviço comece a funcionar no próximo ano.
Localizado no Parque Itália, ao lado do Hospital Mário Gatti, o AME de Campinas está sendo executado por meio do programa Saúde em Ação, uma parceria do Governo do Estado, da Prefeitura e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O investimento na construção é de R$ 37 milhões.
A previsão inicial de entrega da obra era março deste ano. O terreno que abriga o AME e também o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) tem cerca de 8 mil metros quadrados. O AME terá 31 consultórios médicos, 10 consultórios não médicos, centro cirúrgico com seis salas, hospital dia com 24 leitos, dois consultórios odontológicos e 20 salas de exames (radiologia, ultrassonografia, endoscopia, cardiologia e oftalmologia).
O presidente da fundação de Franca, Tony Graciano, afirmou que mais uma vez a entidade recebe do governo do Estado o reconhecimento e a confiança no trabalho de gestão dessas unidades. A OSS administra os AMEs das cidades de Franca, Taquaritinga e Casa Branca.
A publicação no Diário Oficial não traz o valor proposto pela administração para gerenciar o AME Campinas e o Correio também não obteve a informação junto ao governo.
Estavam na disputa pela gestão do AME Campinas o Instituto Nacional de Pesquisa e Gestão (Insaúde), Centro de Estudos e Pesquisas “Dr. João Amorim” (Cejam), Santa Casa de Andradina, Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo (Seconci), Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), Associação Beneficente Cisne, Santa Casa de Misericórdia de Pacaembu e a Fundação Santa Casa de Misericórdia de Franca.
O Estado vai arcar com o custeio da unidade e, no local, serão feitas consultas, exames e pequenas cirurgias, o que ajudará a desafogar o Hospital Mário Gatti.

Escrito por:

Maria Teresa Costa