Publicado 08/11/2019 - 11h27 - Atualizado 08/11/2019 - 11h27

Por Gustavo Magnusson

Tiãozinho espera uma arrancada da Ponte no final da Série B:

Wagner Souza/AAN

Tiãozinho espera uma arrancada da Ponte no final da Série B: "A torcida não quer um time que jogue a toalha"

A poucas horas do Dérbi 195, o clima nos bastidores da Ponte Preta é de bastante trabalho e diálogo. No início da tarde de ontem, os jogadores da Macaca participaram de uma reunião com o novo presidente do clube, Sebastião Arcanjo, o Tiãozinho. O encontro aconteceu no hotel onde a delegação da Ponte está concentrada para o clássico de amanhã, às 16h30, no Brinco de Ouro.
A conversa entre o dirigente e o elenco teve tom de cobrança e motivação, com direito a revelação de um estímulo financeiro para o Dérbi. "Eu deixei claro para os jogadores que do ponto de vista interno o problema está equacionado. É claro que a instabilidade política contamina o ambiente e gera insegurança, mas precisamos virar a página. O salário dos jogadores e os direitos de imagem já estão acertados. Agora, esperamos uma resposta dentro de campo", cobrou Tiãozinho em sua primeira coletiva de imprensa como mandatário máximo. O presidente também bancou a permanência do técnico Gilson Kleina, independentemente do placar de amanhã.
À parte o Dérbi, Tiãozinho não quer saber da Ponte Preta entregar os pontos na sequência da Série B, apesar das remotas chances de acesso. "Se não é para brigar lá em cima, vamos lutar pela camisa da Ponte e pela história do clube. A torcida não quer um time que jogue a toalha e que se renda. Nós ainda temos mais cinco partidas e precisamos terminar a Série B com dignidade", afirmou.
Sobre assuntos extra-campo, Tiãozinho enalteceu a figura do presidente de honra do clube, Sérgio Carnielli. "Nós temos uma dívida com o Carnielli e ainda bem que é com ele, pois se fosse com outra pessoa já estaria cobrando na Justiça", elogiou.
O presidente também projetou o futuro do clube sob sua administração, com possibilidade de construção de uma arena e a valorização das categorias de base. Segundo ele, o Athlético, atual campeão da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana, deve ser o modelo a ser seguido. "Todos os problemas que estamos passando, eles passsaram também até se tornar um dos clubes mais equilibrados finaceiramente do futebol brasileiro hoje, com arena moderna e base forte", destacou.
Reformulação política
A dança das cadeiras vem tomando conta do cenário político da Ponte Preta. Após a debandada de oito membros da diretoria nomeados por Abdalla, o clube anunciou como novo Diretor Financeiro Fábio Abdalla, que já foi Diretor de Patrimônio na gestão de Vanderlei Pereira. Apesar do sobrenome, ele não possui nenhum grau de parentesco com o antigo mandatário. A expectativa é que até a próxima segunda-feira os demais novos integrantes da diretoria sejam anunciados.

Escrito por:

Gustavo Magnusson