Publicado 25/11/2019 - 16h21 - Atualizado // - h

Por Daniela Nucci

Os óleos essenciais são extraídos de partes diferentes da planta e são de 50 a 70 vezes mais potentes do que as ervas.  Uma gota equivale a 28 xícaras de chá.

I Stock

Os óleos essenciais são extraídos de partes diferentes da planta e são de 50 a 70 vezes mais potentes do que as ervas. Uma gota equivale a 28 xícaras de chá.

A busca pelo bem-estar físico e mental por meio do uso de produtos naturais feitos sem agredir o meio ambiente, ganha cada vez mais adeptos. Esta atitude vem conquistando diversos setores, desde a moda, com insumos e tecidos sustentáveis, a gastronomia, com produtos orgânicos, até chegar aos cuidados com a mente e o corpo. Os óleos essenciais também fazem parte desse movimento que nada mais é do que a adoção de práticas mais naturais e conscientes.
De alta pureza, os óleos essenciais podem derivar de uma só origem ou resultar de uma composição mista, de acordo com o benefício esperado. Segundo o consultor de bem-estar e empreendedor, Olberes Pizão Filho, o óleo essencial é o que existe de mais potente dentro da planta e isso é 100% benéfico para a saúde. “É uma medicina preventiva que ajuda a ter uma harmonia do metabolismo, resultando em uma boa saúde física, emocional e psicológica”, diz Filho. Segundo o profissional, os óleos essenciais não competem com as fórmulas sintéticas, mas ajudam a harmonizar o organismo para prevenir desequilíbrios patológicos. “Hoje a maioria das pessoas corre para a farmácia quando sentem algum tipo de dor. O brasileiro gosta de se automedicar e isso é grave, pois não sabem a origem. Se tem uma dor de cabeça pode ser hipertensão, problema digestivo ou elevação de pressão arterial. A fórmula sintética combate efeitos, o óleo essencial combate a causa raiz”, diz o consultor. Apesar de o tratamento ser 100% natural, Filho não se priva de usar remédios. “Se precisar tomar um remédio, vou usar. Mas estou harmonizando o organismo para usar menos”, completa. Segundo ele, a tendência é se desprender dos remédios com o uso dos óleos essenciais pela busca da longevidade. “Imagine ter que tomar 20 comprimidos quando chegar aos 90 anos”, questiona.
O consultor explica que os óleos essenciais são apresentados em doses aromáticas, tópicas, no entanto, quando comprovado que são 100% naturais, podem ser ingeridos. Devido ao grau de potência, apenas uma gota já está dando suporte para o tratamento. “O menos é mais. Por isso, a quantidade e a necessidade precisam ser orientadas por um consultor. O mesmo produto pode ajudar no sistema respiratório, digestivo, para dores musculares e baixar a febre”, comenta Filho. “Se alguma pessoa tiver alguma patologia é bom compartilhar a informação com seu médico”, conta o profissional, que tira dúvidas e orienta sobre o tratamento natural através do aromasterra8@gmail.com ou pelo site www.aromasterra.com.br. A médica Lícia Maria da Cunha Canto, formada pela Unicamp e especializada em cardiologia, clinica médica, homeopatia e acupuntura, acredita na eficácia dos óleos essenciais associada a uma terapia holística. “Na minha prática diária de consultório utilizo os óleos essenciais simultaneamente a nossa terapia holística. Podem ser usados em feridas, queimaduras, picadas de insetos, micoses, como antioxidantes, antivirais, antibióticos, antisépticos, entre outras funções. São indicados para distúrbios mentais, psíquicos e físicos”, diz Lícia.
Extração
A aromaterapia é um tratamento terapêutico baseado no uso de óleos essenciais e praticado na Medicina Ayurveda, na Índia, 5 mil anos AC. De acordo com Vilene Braga, proprietária da marca Ervazen (#ervazenn), mestre e doutora em Engenharia de Alimentos pela Unicamp, estudiosa de plantas medicinais e óleos essenciais, há um movimento crescente do uso de alternativas naturais para cuidar da saúde e bem-estar, especialmente através do uso de plantas medicinais, óleos essenciais e tratamentos holísticos. “Os óleos essenciais são substâncias lipossolúveis e voláteis muito complexas, são encontrados nas plantas em forma de pequenas gotículas presentes entre as células”, diz Vilene. A forma mais tradicional de extração é por arraste de vapor. “A planta é colocada em um destilador por onde passa um vapor de água que arrasta tanto o óleo essencial como o hidrolato, que é a parte aquosa, também muito utilizada nas terapias, depois este vapor é condensado e coletado em um recipiente”, diz a especialista. O preço do óleo essencial varia, principalmente, em função do seu rendimento de extração, quanto menor, maior o seu custo. “Por exemplo, para o óleo essencial de Rosas são necessárias 3000 kg de pétalas para se obter 1 litro de óleo essencial, enquanto o Jasmin, são necessárias 7000 kg de flores para 1 litro de óleo”, explica Vilene. Dentre os óleos essenciais, o mais consumido mundialmente é o de Lavanda (Lavandula Officinalis), que age principalmente no emocional, como calmante e em casos de ansiedade. Outro bastante utilizado é o Melaleuca (Melaleuca alternifólia), um verdadeiro curinga. Também conhecido como Tea tree, é indicado para melhorar a imunidade e atua como fungicida, bactericida, expectorante, cicatrizante, etc. O de Alecrim (Rosmarinus officinalis) é ótimo para a parte mental, ajuda no foco e na concentração, é revigorante, antidepressivo e estimulante.
Cuidados
Apesar de natural, o uso de óleos essenciais deve ser feito com muito cuidado, especialmente por gestantes, crianças e idosos. “Como são extremamente concentrados o seu uso na forma pura em pele mais sensível não é recomendado, salvo algumas exceções, como o de Lavanda e Melaleuca, podendo causar alergias. A recomendação é usar o produto na sua forma diluída em óleos vegetais carreadores, que também são terapêuticos, como os óleos de gergelim e semente de uva. Não se devem utilizar óleos minerais por causar interações e reduzir o efeito”, orienta a profissional. O consultor de bem-estar Olberes Pizão Filho também orienta o uso de difusores ultra-sônicos, pois geram vapor sem produzir calor, preservando a integridade do óleo. “Os óleos também não devem ser diluídos em garrafas de plástico, pois atacam a base do petróleo, podendo liberar a toxina do combustível fóssil e ser extremamente tóxicos para o ser humano”, diz Filho.
 
Sinergias
A combinação de dois ou mais óleos essenciais também é utilizada para potencializar algum benefício, porém não é recomendada a mistura de mais de quatro tipos e nem a mistura deles com propriedades conflitantes, como por exemplo mesclar um que é calmante com outro estimulante. “O consumo oral somente deve ser feito com recomendação médica ou de um especialista, nem todos podem ser ingeridos e devem ser preferencialmente orgânicos. Outras formas de utilização são por inalação, difusores, massagem terapêutica, banhos, compressas, gargarejo, escalda-pés”, completa Vilene. Por conta do alto valor agregado há muita adulteração de óleos essenciais, é preciso ficar atento! “Se encontrar opções muito baratas, desconfie. Pode ser adulterado ou falso. E não confundir óleo essencial com essências aromatizantes, pois estas são artificiais e não possuem ação terapêutica. Procure saber a procedência do seu óleo essencial, se o fabricante possui certificações e registro na Anvisa”, pontua a especialista.
Moda difusora
Um dos instrumentos para inalar e sentir o bem-estar dos óleos essenciais são os acessórios difusores, como pulseira e colares, que absorvem a essência. São feitos com pedras naturais para ir de encontro com a filosofia dos óleos. Não pode ser exposto ao sol porque é volátil, caso seja 100% puro. Na linha capim limão (@capimlimãodifusores), as pulseiras e os colares são difusores e feitos com pedras naturais.  
Pai da aromoterapia
O óleo essencial foi criado pelo químico francês Maurice René de Gattefossé, em 1928. Após queimar gravemente os braços durante uma destilação em seu laboratório, ele enfiou os braços em uma tina de lavanda, achando ser água. Em poucos minutos, o químico notou que sua dor passou e, dias depois, a queimadura foi cicatrizada. Dali, passou a explorar mais as propriedades curativas desses extratos, já que antes, só usava como perfumes em suas criações. Também se deve a este químico um dos primeiros relatos de que produtos sintéticos que imitavam essências naturais tendiam a não ter as mesmas propriedades curativas.
Funções diferentes
LAVANDA
Com propriedades relaxantes, quando aplicado nas têmporas e na nuca alivia o estresse. Na Antiguidade, os egípcios e romanos usavam a Lavanda para banhos, relaxamento e como perfume; ela é amplamente usada por suas propriedades calmantes e relaxantes. Adicione algumas gotas de Lavanda em travesseiros, roupa de cama, ou na planta dos pés para uma noite de sono restauradora.
HORTELÃ-PIMENTA
É um dos mais versáteis: alivia dores de cabeça e ajuda no trato respiratório. Suas propriedades adstringentes são usadas no tratamento da acne, para iluminar a pele naturalmente e ainda para cuidar do couro cabeludo.
TANGERINA
Conhecida por suas propriedades purificantes e aroma revigorante, a tangerina tem um longo histórico de uso na cultura chinesa e práticas de bem-estar herbais. Seu aroma é doce e levemente picante, similar a outros óleos cítricos revigorantes.
COPAÍBA
O óleo essencial de copaíba é derivado da resina da árvore de copaíba, extraído no Brasil. É amplamente usado em cosméticos, incluindo sabonetes, cremes, loções e perfumes. Desde o século XVI, tem sido usado em práticas tradicionais dos nativos do Norte e Nordeste do Brasil. Assim como o óleo de pimenta-do-reino, o copaíba ajuda a diminuir sentimentos de inquietação, e pode ser aplicado na pele para deixá-la limpa e macia.
LIMÃO SICILIANO
O limão siciliano possui muitos usos e benefícios. Ele é um agente de limpeza poderoso que purifica o ar. Quando difundido, é muito energizante e edificante, e foi mostrado que ele ajuda a melhorar o humor.
OLÍBAMO
Os babilônicos e assírios queimavam o olíbano em cerimônias religiosas e os antigos egípcios usavam a resina dele para tudo, desde perfumes até pomadas para acalmar a pele. Suas propriedades relaxantes e embelezadoras são usadas para rejuvenescer a pele quando aplicado topicamente. Quando inalado ou difundido, o olíbano promove sentimentos de paz, relaxamento, satisfação e bem-estar em geral.
Óleos para toda família 
Na casa da professora Erika Amador Buzzo, a família toda entrou na onda dos óleos essenciais para auxiliar nos problemas respiratórios. “Conheci os óleos através de uma amiga, no início de junho deste ano. Foi um mês em que meus filhos e meu marido sofreram bastante por conta da estação com alergias, resfriados, gripe e sinusite. Os gastos com a farmácia foram exorbitantes. Foi então, que comecei a observar as postagens nas redes sociais da minha amiga, dizendo que havia soluções naturais para cuidar da saúde, por meio dos óleos essenciais. Fiquei curiosa e pedi mais informações. Ela logo se prontificou em ir até a minha casa para que conhecêssemos”, conta Erika. Porém, não foi fácil convencer o marido a entrar nesse universo. “Ele era bem cético devido aos tratamentos e até simpatias para ajudar em seu quadro, sem resultados positivos, achando que era apenas mais uma tentativa sem resultado em sua lista”, comenta a professora. Foi então que, após um desconforto respiratório, ela passou uma gota do óleo essencial no peito do marido. Em menos de dez minutos, ele sentiu a diferença. “Erika, pode comprar o kit todo! Acho que nunca respirei tão bem em toda a minha vida”, disse seu marido engenheiro Jair Ivan Buzzo Jr. A partir daquele momento, suas bombinhas para falta de ar foram deixadas cada vez mais de lado. “Deixar de usar remédios, que sabemos que podem levar a efeitos colaterais sérios, e usar soluções naturais que trazem tantos benefícios a saúde, não tem preço. Estamos muito felizes com os resultados diários que temos com os óleos”, diz Erika. Os filhos, Giovanni, de 6 anos, e Lucca, de 3, também viraram adeptos da medicina preventiva. Durante os quatro meses de uso, os irmãos evitaram duas vezes o uso de antibióticos e antitérmicos. “Usamos o óleo de hortelã-pimenta na sola dos pés do Lucca e a febre baixou em menos de quinze minutos. Os quadros alérgicos, tosses e resfriados desapareceram. As noites são muito mais tranquilas com o uso dos óleos de lavanda no nosso difusor ultra-sônico”, conta a professora. Além disso, diariamente, todos usam óleos para aumentar a imunidade, inclusive, a cachorrinha Lila. “Sem duvida, o melhor investimento que fizemos”, garante a professora. “Agora, juntos, compartilhamos experiências e ajudamos outras famílias a cuidar da saúde física e emocional com os óleos essenciais”, diz Erika, que trabalha com a linha doTERRA, empresa norte-americana, 100% natural e sem elementos químicos e sintéticos ou uso de pesticidas. Os óleos essenciais são produzidos a partir de plantas e árvores específicas em seu melhor habitat – a lavanda é extraída da Bulgária, o limão-siciliano, da Itália, e a tangerina e a copaíba, do Brasil. Em seu Instagram (@erika_buzzo), ela dá dicas de misturas de óleos essenciais para ajudar no benefício que deseja.

Escrito por:

Daniela Nucci