Publicado 23/12/2019 - 14h54 - Atualizado 23/12/2019 - 15h45

Por Kátia Camargo

Para muita gente, a mudança de ano costuma funcionar como um momento de reflexão.

I Stock

Para muita gente, a mudança de ano costuma funcionar como um momento de reflexão.

Adeus, ano velho /Feliz ano novo/Que tudo se realize/ No ano que vai nascer/ Muito dinheiro no bolso/ Saúde pra dar e vender! Essa canção tradicional costuma ser entoada em muitas casas, nos momentos que antecedem a virada do ano. Entra ano e sai ano, os rituais acabam marcando a passagem de um ano para o outro. E, independente da religião e das crenças, a chegada do Ano-Novo costuma trazer a esperança de dias melhores em todos os campos da vida: saúde, amor, dinheiro, paz, trabalho. Pelo menos é o que muita gente quer acreditar!
Muitas pessoas não abrem mão da roupa branca, de pular as sete ondinhas, de usar determinadas cores nas peças íntimas. Por exemplo, para quem quer paz e harmonia a recomendação é usar branco, amarelo é para atrair dinheiro e sorte, rosa para quem quer amor, verde para esperança e saúde, vermelho para paixão, entre outras. Basta escolher a cor de acordo com o seu desejo.
Para muita gente, a mudança de ano costuma funcionar como um balanço, um momento de reflexão. Dentre os aspectos considerados, entram as conquistas, as perdas, as mudanças, os recomeços, os desafios e o que as pessoas querem melhorar ou deixar para trás em 2019. Muitas pessoas fazem listas de desejos do que pretendem conquistar no ano que começa.
Entre sabores e aromas
Vale lembrar que ao redor do mundo, o Réveillon é marcado não apenas pela contagem regressiva, mas também por alimentos tradicionais que celebram o início de um novo ciclo, representando de um modo geral a alegria e a fartura. No Brasil, e em outros países, é comum que as famílias consumam lentilha na passagem de ano. Algumas preferem guardá-las no bolso na versão crua para garantir boa fortuna no ano que se inicia, outros escolhem colocá-las no prato para não correr o risco de perder nenhum trocado.
Um dos costumes que veio da Espanha é o de comer 12 uvas no momento da virada do ano. Esse costume simboliza que os doze meses do ano devem ser igualmente doces. Tudo indica que essa tradição começou em 1909, quando produtores da cidade de Alicante quiseram aumentar as vendas. A ideia deu certo e acabou virando um costume local, se espalhando por outros países.
Muitas pessoas também têm o hábito de preparar peixe no Ano-Novo, um costume associado a várias simbologias. Uma delas é que o animal costuma nadar para frente. Para os cristãos, também está associado ao milagre da multiplicação dos peixes, realizado por Jesus. Há quem diga (costume antigo) que não se deve consumir nada que ande ou cisque para trás como é o caso do frango e do caranguejo.
Uma das simpatias que virou tradição é consumir sementes de romã, pois estaria relacionada à fartura e à fertilidade. A dica é consumir à meia-noite de três a sete sementes de romã mentalizando tudo o que se deseja conquistar. Feito isso, embrulhe em um pedaço de papel branco e guarde em sua carteira até o final do ano.
Entre ritos e rituais
Além da tradição da comida, muitas pessoas costumam recorrer a simpatias, produtos dos segmentos holístico, esotérico e místico. Durante a Feira Mística, ocorrida na Estação Cultura de Campinas em meados de dezembro, muitas pessoas já estavam em busca de produtos que pudessem contribuir para fazer um 2020 mais feliz. Um desses rituais ganhou nova roupagem nas mãos do casal que veio da Serra Gaúcha, Tatiana Fernandes e Tiago Machado, da Herbal Saboaria. Eles transformaram o tradicional banho de sal grosso e arruda e o banho de sete ervas em sabonetes em barra. “O banho do sal grosso e arruda já é um clássico que desbloqueia a energia, por isso tem sido muito procurado para quem quer começar bem o ano. Já o banho de sete ervas é reconhecido por fazer um tratamento completo de equilíbrio de energia”, destaca Tatiana.
Carolina de Freitas trabalha com orgonites. São peças feitas de resina, cristal e metal. Segundo ela, o objetivo da peça é ajudar a equilibrar as energias dos ambientes e das pessoas. “É muito interessante que as pessoas coloquem essa peça no ambiente que estará na virada do ano. As orgonites transformam a energia negativa em energia positiva. Pode ser em formato de pirâmides ou de outras formas e podem ser usadas em casa, no ambiente de trabalho”, destaca.
Mariana Ventorra que é terapeuta e oraculista da Contatos Encantados diz que uma boa opção para quem quer começar bem o ano é usar o sal negro que é uma receita tradicional de bruxas dos Estados
Unidos. Vale a pena ter pedras e cristais para trazer harmonia, paz, saúde e amor. “Os rituais funcionam como uma marcação. É uma forma de comprometer com um objetivo e fazer a sua parte”, conta a oraculista.

Escrito por:

Kátia Camargo