Publicado 23/03/2020 - 17h13 - Atualizado 24/03/2020 - 19h33

Por Daniela Nucci

Jaquetas Duodeno

Jaquetas Duodeno

Os dias de Verão estão quase no fim e o frescor já dá sinal para começar a tirar as jaquetas do fundo do guarda roupa. Peças coringas do vestuário, elas dão um toque de estilo no visual e nunca saem de moda. “Por sua proposta atemporal, a peça é muito versátil para elaborações de diferentes propostas de looks no guarda-roupa, fazendo com que elas tenham um ciclo de vida muito longo nas tendências de moda”, diz a docente de moda do Senac Campinas, Justine Armani.
Os principais modelos da estação são as tradicionais jaquetas jeans, a doudone, perfecto, bomber, biker, em comprimentos diversos; na cintura, cropped e mediano, segundo Justine. “Os detalhes marcantes nas jaquetas que aparecerão com força no Inverno 2020 ficam por conta das mangas bufantes, ombros estruturados arredondados e até os quadrados, com forte tendência dos anos 1980, modelagens esportivas, clássicas, estilo oversized, inspiração militar, bolsos utilitários, com capuz e matelassadas”, diz Justine. Além das jaquetas, os casacos mais alongados e capas aparecem com força total como opções marcantes para a temporada. “São peças versáteis e bastante confortáveis”, completa a docente.
As propostas de cores variam desde os tons fortes em neon, pink, anil, verde lima, vermelho vivo, azul intenso, além do colorblocks, estes para looks com linguagens mais arrojadas, e estão entre as principais tendências para Inverno 2020, aponta a docente.
A tendência também contempla os tons de verde que permeiam desde o militar, transitando pelas nuances mais claras e descendo até os tons mais profundos, como verde musgo, prestigiando assim vários sub tons de pele e estilo pessoal. “A democrática cartela continua com tons de azuis, turquesas e os violáceos. Porém, para quem tem um estilo mais básico, o bege com toda sua atemporalidade e sofisticação continua em alta, em nuances diversas, servindo como tela em branco para produções com pontos focais coloridos ou estampados em cobra, onça, xadrez, militar, que podem ser bolsas, sapatos ou acessórios, como óculos, colares, pulseiras e anéis”, comenta Justine.
Vale reforçar que os bichos como cobra, onça e zebra continuam soltos nas estampas e texturas, e vão dividir a cena com o xadrez e suas variadas padronagens como o tartan, o príncipe de Gales e checkerboard. “Completando as estampas, os florais realistas e principalmente com fundo escuro prometem dar um ar mais criativo e nostálgico aos variados modelos de jaquetas”, diz Justine.
Aquela jaqueta antiga dá para usar?
Segundo Justine, o Inverno 2020 propõe revisitar peças antigas, permitindo o garimpo de peças oitentinha e 1990 em brechós, ou a possibilidade de você personalizar sua jaqueta antiga, surrada ou até aquela que está parada no seu guarda-roupa, principalmente os modelos clássicos em jeans, agregando puídos, criando efeitos diferenciados, tirando o cós, substituindo o tecido da manga por outro tecido de cor e textura diferentes, tingindo. “O legal é dar seu toque de criatividade e criar uma narrativa muito particular”, pontua Justine.
Do couro aos tecidos futuristas
“As jaquetas aparecem em tecidos variados como o clássico couro, que, atualmente, cada vez mais as marcas propõem o couro falso, levando em consideração a preocupação com a crueldade com os animais “cruelty free”, explica Justine. Os tecidos tecnológicos com superfícies brilhantes aparecem com força total, liso ou em versões com paetê e texturas diversas. Lãs, malhas grossas, pelos falsos principalmente em golas e punhos também marcam presença na estação. “Tecidos transparentes, com linguagem futurista (aparência de plástico), agrega força e modernidade principalmente a modelos de jaquetas básicas e tradicionais, criando looks joviais, criativos e de vanguarda”, diz a profissional. Aparecem também as variações de tecidos mais leves em algodão, como jeans, sarja, suede, alfaiatarias diversas, microfibras em telas acetinadas e muito nylon.

Escrito por:

Daniela Nucci