Publicado 15/09/2020 - 18h43 - Atualizado 15/09/2020 - 19h52

Por Alenita Ramirez

Caso aconteceu na tarde de sábado, quando o homem usava a máscara no queixo e se recusou a fazer uso correto obrigatório em estabelecimentos comerciais, de acordo com decreto municipal

Reprodução de vídeo

Caso aconteceu na tarde de sábado, quando o homem usava a máscara no queixo e se recusou a fazer uso correto obrigatório em estabelecimentos comerciais, de acordo com decreto municipal

Um vídeo feito por clientes de uma sorveteria no bairro Flamboyant, em Campinas, em que mostra um homem xingando e chutando o estabelecimento só porque a dona do local pediu para ele usar de forma correta a máscara de proteção, viralizou nas redes sociais e gerou revolta entre os internautas. O caso aconteceu por volta das 15h do último sábado. A vítima disse que vai registrar o caso na Polícia Civil, uma vez que ele a ameaçou. “Não queremos a exposição do cliente, nem nos promover. Só queremos justiça”, comentou o empresário Thiago Yaly, cunhado da vítima.
A imagem mostra o homem ameaçando uma das sócias da sorveteria após ela solicitar para que ele utilizasse a máscara de proteção contra o coronavírus da forma correta. O homem estava com a máscara no queixo e, pela legislação em vigor, o equipamento tem que estar sobre o nariz e a boca. Além de xingar a mulher com palavrões, ele chuta e quebra equipamentos do estabelecimento - uma cadeira. Na sequência, ele tira uma proteção de corrente que havia no local e pisa em um cone colocado para controlar o fluxo de clientes.
Em meio a ameaças, o homem aponta o dedo no rosto da mulher e, além de xingar, a intimida: "Faz alguma coisa para ver se eu não quebro a sua cara, fala um 'A' pra você ver o que eu não faço", declara. Ele também a xinga com palavrões. “A rede está funcionando de forma que as pessoas mantenham o isolamento social, mas que também consumam os produtos em casa. Então as unidades ficam abertas, as pessoas compram e vão para suas casas. Neste dia, o cliente entrou na unidade e foi questionado diversas vezes sobre o uso correto da máscara, ele se recusou e partiu para cima da sócia da minha cunhada, xingando e fazendo ameaças, dizendo que ela não sabia com quem estava lidando e ia acabar com ela. Foi uma cena horrível”, disse Yaly.
Em Campinas há um decreto que obriga o uso de máscaras em estabelecimentos comerciais, além de vias públicas. Caso os clientes e funcionários se recusem a usar o equipamento de proteção, o estabelecimento é multado e corre até o risco de ser fechado pela Prefeitura.

Escrito por:

Alenita Ramirez