Publicado 17/10/2020 - 12h34 - Atualizado 17/10/2020 - 12h34

Por Da Agência Anhanguera

Assinatura de termo permite a relicitação

Leandro Ferreira/AAN

Assinatura de termo permite a relicitação

A Concessionária Aeroportos Brasil Viracopos (ABV), que administra o aeroporto internacional de Campinas, assinou o termo aditivo ao contrato de concessão, que vai permitir a relicitação do empreendimento, a ser feita pelo governo federal. Na assinatura do acordo, no entanto, a ABV impõe uma série de condições, entre elas, a garantia de que o novo concessionário não possa assumir até que a ABV seja integralmente ressarcida pelos investimentos que realizou no sítio aeroportuário. Quer ainda que o valor da indenização seja definido por intermediação de um tribunal arbitral, com regras definidas pela Câmara de Comércio Internacional. A concessionária diz que investiu perto de R$ 3,5 bilhões no negócio.
O atual contrato de concessão de Viracopos foi assinado em 2012 e deveria durar por 30 anos. A ABV, porém, entrou em recuperação judicial em julho de 2018 por conta de dívidas que somam perto de R$ 2,8 bilhões. Assim, decidiu devolver a concessão. A expectativa é que um novo leilão para a escolha de um novo concessionário seja realizado entre julho e agosto do ano que vem.
O consórcio ABV é formado pela UTC Participações, Triunfo Participações e Egis. Juntas elas possuem 51% do controle do terminal. A Infraero detém 49%. Os dois primeiros acabaram investigados na Operação Lava Jato e entraram em dificuldades financeiras. Além disso, a expectativa de volume de passageiros e de cargas ficou abaixo do estimado quando da realização do leilão.
No final de setembro, a Infraero admitiu a possibilidade de venda de sua participação num eventual negócio envolvendo Viracopos. A empresa informou ainda que "possui o direito de acompanhar eventual venda do acionista privado nestes ativos".
A possibilidade de venda pela Infraero ganhou força nas últimas semanas , com a informação de que o grupo Brazil Invest Airport estaria negociando a compra da concessão. Segundo as informações publicadas pelo portal de internet UOL, o plano prevê a construção de uma nova pista de pouso, além de um hotel e um shopping center na área de concessão do aeroporto.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera