Publicado 20/11/2020 - 07h58 - Atualizado 20/11/2020 - 07h58

Por Alenita Ramirez

Homens jogam entulhos na carroceria de um caminhão em Capivari

Matheus Pereira/AAN

Homens jogam entulhos na carroceria de um caminhão em Capivari

A forte chuva acompanhada de rajadas de vento de cerca de 150km/h na noite da última terça-feira causou prejuízo de aproximadamente R$ 600 mil para um avicultor de Capivari e ainda provoca reflexos na cidade. Capivari está em situação de emergência — foram 50.5mm de chuva junto com granizo. Na manhã de ontem, a Defesa Civil local determinou a abertura das comportas da barragem Leopoldina para evitar uma enchente no município. A Prefeitura também montou equipes para ajudar a “recuperar” a cidade. O Fundo Social está recebendo doações de roupas, alimentos e colchões para destinar às famílias afetadas. 
Casa no Jardim Florence 1, em Campinas, atingida pela chuva: transtorno
A Secretaria Municipal de Saúde teve que suspender a vacinação nos postos de saúde devido a interrupção do fornecimento de energia. Mas, segundo a Administração Municipal, o Posto Central — Centro de Saúde Dr. Mário Dias de Aguiar — voltou a aplicar as vacinas ontem até que tudo se normalize nas demais unidades. “As doses que serão aplicadas estão em perfeitas condições de uso da população. As coletas de sangue foram suspensas e os exames de eletrocardiograma deverão ser remarcados”, informou a Prefeitura.
Segundo a CPFL Paulista, a distribuição de energia elétrica na cidade foi normalizada na manhã desta quinta-feira.
Aviário
Desde o vendaval, a rotina da família de Luis Augusto de Carvalho, conhecido como Guto, foi drasticamente alterada. Os sete aviários da família foram destelhados e cerca de duas mil aves morreram. O avicultor vai levar pelo menos 30 dias para deixar o local em ordem. “Ainda bem que foram apenas danos materiais”, disse Guto.
Localizada no bairro rural Frio, a granja existe há 30 anos e tinha cerca de 70 mil aves. Os barracões, de cerca de 1,8 mil metros quadrados, foram destelhados. Boa parte das aves morreu devido a chuva. Em função das quedas de árvores na cidade, muitos postes de iluminação caíram e a propriedade acabou ficando sem energia elétrica, inclusive a do gerador.
“Desde terça-feira à noite não consigo dormir bem. Passamos o dia correndo, fazendo revezamento para manter os núcleos ventilados e assim evitar a morte de mais aves”, contou Guto.
Ainda na propriedade da família, o vendaval também destruiu a capela recém-reformada, que foi construída pelos patriarcas. A igreja tinha mais de 100 anos.
“A ventania derrubou tudo na capelinha. Fazia uns 20 dias que tínhamos concluído a reforma. Só ficou intacto uma imagem de São Benedito”, contou o avicultor.
Vizinho à granja de galinhas, um suinocultor também teve prejuízos. Os núcleos onde ficam os animais foram destelhados. A reportagem do Correio Popular não conseguiu falar com o dono.

Escrito por:

Alenita Ramirez