Publicado 21/11/2020 - 10h55 - Atualizado 21/11/2020 - 10h56

Por Henrique Hein


Matheus Pereira/AAN

Um terço das mortes provocadas por acidentes de trânsito neste ano em ruas e avenidas de Campinas envolveu jovens com até 24 anos. Do total de 44 óbitos registrados entre janeiro e outubro, 14 foram de pessoas que pertenciam a essa faixa etária, segundo dados divulgados pelo Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga-SP), órgão que mapeia as estatísticas em todos 645 municípios paulistas.
Apesar de preocupante, o índice aponta para uma situação recorrente se comparada a anos anteriores. Nos primeiros dez meses de 2019, por exemplo, foram 15 os jovens com menos de 25 anos que morreram nas vias de Campinas, o que representou para época 35% do total de óbitos ocorridos (42). Um ano antes, entre janeiro e outubro de 2018, a porcentagem foi de 26%, com 14 dos 52 falecimentos.
De acordo com o Infosiga-SP, dos 14 jovens que perderam a vida no trânsito do município em 2020, todos eram do sexo masculino. Os acidentes com motocicletas e bicicletas foram os que mais causaram as mortes desses jovens, com nove e três óbitos, respectivamente. Houve também o registro de falecimento de um pedestre e um ocupante de carro (não necessariamente o condutor).
O levantamento do órgão estadual também disponibilizou dados dos tipos e subtipos de acidentes que resultaram na morte das vítimas. Neste ano, houve dez óbitos a partir de choques ou colisões, enquanto no restante dos casos (quatro) não foi possível categorizar a causa. Entre os mortos, três eram menores de idade e 11 tinham entre 18 e 24 anos. Nenhum dos jovens chegou a ser socorrido a tempo de chegar cm vida a um dos hospitais da cidade.
Na avaliação de Carlos José Barreiro, secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), o número total de mortes na cidade vem caindo ano após ano, mas a quantidade de jovens mortos em acidentes de trânsito ainda assusta.
"Nesse período de 2018 (de janeiro a outubro) nós tivemos 63 óbitos. Em 2019, foram 58 e agora foram 54. No entanto, é preocupante a quantidade de óbitos envolvendo as pessoas com menos de 25 anos de idade, principalmente envolvendo acidentes com motocicletas", disse ele.

Escrito por:

Henrique Hein