Publicado 07/04/2021 - 11h07 - Atualizado 07/04/2021 - 11h07

Por Rodrigo Piomonte/ Correio Popular

Enfermeiro acompanha chegada de paciente a hospital de Campinas

Diogo Zacarias/ Correio Popular

Enfermeiro acompanha chegada de paciente a hospital de Campinas

No dia em que Campinas bateu um novo recorde de mortes por covid-19 em 24 horas, a Prefeitura anunciou dados que, segundo a Administração, indicam uma melhora no quadro da pandemia na cidade. Como decorrência da interpretação, o prefeito Dário Saadi (Republicanos) anunciou o afrouxamento das medidas restritivas. Depois de 20 dias, os serviços de drive thru voltam a ser permitidos a partir de hoje para todos os estabelecimentos comerciais, bem como a retirada de alimentos em bares e restaurantes dentro do horário do toque de recolher, das 20h às 5h.
Durante entrevista coletiva transmitida pelas redes sociais, ontem, Dário informou sobre o registro de 69 mortes a mais na cidade pelo coronavírus . Com isso, o número de óbitos chega a 2.526 desde o início da pandemia. Até então, o maior número de mortes registradas em 24h havia sido de 45, divulgado no dia 30 de março. Segundo a Prefeitura, os novos casos e mortes contabilizados não significam que eles ocorreram no dia em que ocorreu a divulgação, mas que foram registrados nesta data. O balanço trouxe ainda 313 novos casos da doença na cidade nas últimas 24h. Até agora a covid-19 já acometeu 83.159 campineiros.
Mesmo com os números trágicos da covid-19, a Prefeitura alegou ter observado melhora na taxa de transmissão da doença e no número de pacientes que esperam por leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), enfermaria e de novas internações. Diante disso, determinou o afrouxamento das medidas de restrição em vigor desde o dia 26 de março. Segundo a diretora do Departamento de Vigilância Sanitária, Adrea Von Zuben, a taxa R de transmissão da covid-19 na cidade, que chegou a ser de 1,22 (ou seja, 100 contaminados transmitindo a doença para outras 122 pessoas), está atualmente negativa, entre 0,7 e 0,8.
A pressão por leitos hospitalares também diminuiu, de acordo com o presidente da Rede Mário Gatti, Sérgio Bisogni. Há duas semanas havia cerca de 200 pessoas na fila de espera. Atualmente, existem 78, sendo 52 aguardando por um leito de UTI e 26 por um leito de enfermaria. Neste cenário, a Prefeitura anunciou a retomada, a partir de hoje, do serviço de drive-thru para todo comércio da cidade. A retirada de alimentos pelos clientes em bares e restaurantes, desde que na parte externa do estabelecimento e nos horários permitidos, também volta a estar autorizada, conforme informações do secretário de Justiça, Peter Panutto.
Diante das novas regras, tanto o Iguatemi Campinas como o Galleria Shopping informaram que, retomarão, partir de hoje, o funcionamento do serviço de drive thru das 11h às 19h para operações dos diversos segmentos de atuação presentes nos empreendimentos. Novos afrouxamentos nas regras podem ser anunciados ainda essa semana, segundo a Prefeitura, dependendo da análise dos indicadores referentes ao combate à pandemia na cidade. O toque de recolher vigorará até a próxima segunda, dia 11. Todas as demais regras seguem em vigor.
"Isso prova que as medidas tomadas foram amargas e mais efetivas. Não podemos soltar foguetes e nem comemorar, mas a situação é melhor do que há duas semanas", interpretou o prefeito. Para o secretário de Saúde, Lair Zambon, os números alcançados nas últimas duas semanas com as medidas de restrição são positivos. No entanto, ele faz questão de ressaltar sobre a necessidade da manutenção das medidas de proteção e higiene sanitárias, que continuam essenciais. "Estamos começando a equilibrar o jogo. Todo mundo tem que manter a atenção para a situação não voltar a piorar", disse.
A taxa de ocupação de leitos na cidade, porém, segue alta e está em 95,99%, segundo informações da Prefeitura. Dos 449 leitos de UTI exclusivos para pacientes com covid-19 nas redes pública e particular de saúde, 431 estão ocupados. Há 18 leitos livres, todos na rede privada. Sobre a ativação do hospital de campanha, na sede do Patrulheiros, no Parque Itália, o secretário comentou que prossegue a dificuldade da contratação de mão de obra, mas que mantém o planejamento de abertura do hospital, que garantiria mais de 30 leitos de enfermaria para a cidade. "Diante da situação de alívio na pressão, vamos verificar a possibilidade de retomada das cirurgias eletivas oncológicas", adiantou.

Escrito por:

Rodrigo Piomonte/ Correio Popular