Publicado 07/04/2021 - 11h11 - Atualizado 07/04/2021 - 11h12

Por Rodrigo Piomonte/ Correio Popular

Apesar do recorde de mortes e do intenso fluxo de ambunlâncias nos hospitais, Prefeitura vê melhora no quadro da pandemia em Campinas

Diogo Zacarias/ Correio Popular

Apesar do recorde de mortes e do intenso fluxo de ambunlâncias nos hospitais, Prefeitura vê melhora no quadro da pandemia em Campinas

Em 21 dias de medidas restritivas mais duras, período em que Campinas decretou toque de recolher entre as 20h e às 5h, a cidade em nenhum momento alcançou 50% no índice de adesão ao isolamento social, considerado o mínimo pelas autoridades de saúde para controlar a transmissão do novo coronavírus.
O índice de adesão mais próximo do mínimo exigido foi atingido na cidade no primeiro dia útil desta semana, quando a cidade registrou 47% de observância ao isolamento social. Essa foi a maior taxa, considerando o período de maior restrição imposta pelo município desde o início da pandemia.
Nos demais dias, a adesão à determinação se manteve praticamente igual à que vinha sendo observada antes das medidas restritivas campineiras, ficando inclusive abaixo em alguns momentos. No último dia do mês de março e no primeiro dia de abril, o índice de adesão alcançou as mínimas do período, ficando em 39% e 37%, respectivamente.
A avaliação da Prefeitura de Campinas é de que houve diminuição nos deslocamentos nessa fase. Os dados da taxa de isolamento constam no Sistema de Monitoramento Inteligente do governo de São Paulo e são atualizados diariamente.
A Prefeitura de Campinas anunciou ontem a realização do "Dia D" da Campanha Campinas sem Fome. O evento vai acontecer no próximo final de semana, dias 10 e 11 (sábado e domingo), das 9h às 17h. Na ocasião, haverá uma arrecadação de alimentos e produtos de higiene pelo sistema drive-thru, no arruamento do Paço Municipal. O acesso será pela Rua Barreto Leme, onde uma equipe de servidores voluntários estará recebendo as doações.

Escrito por:

Rodrigo Piomonte/ Correio Popular