Publicado 07/04/2021 - 19h13 - Atualizado 07/04/2021 - 19h14

Por Correio Popular

Observado por pessoas com máscaras, morador anda sem a devida proteção pelas ruas do bairro

Kamá Ribeiro/ Correio Popular

Observado por pessoas com máscaras, morador anda sem a devida proteção pelas ruas do bairro

O Jardim Novo Campos Elíseos é o bairro que detém a maior taxa de letalidade causada pela covid-19 em Campinas desde o início da pandemia. Em 2021, o bairro registrou 195 casos confirmados, com 13 mortes. O comparativo entre os números resulta em um índice de letalidade de 6,7%, a maior da cidade. Os dados sobre o comportamento da doença são coletados e atualizados diariamente pela Prefeitura.
A incidência da covid-19 no Novo Campos Elíseos está relacionada, entre outros fatores, à baixa adesão dos moradores às medidas sanitárias recomendadas pelas autoridades de saúde. Na manhã de ontem, por causa da chuva, havia poucas pessoas circulando pelas ruas do bairro. Mas ainda assim foi possível observar a falta de uso da máscara, principalmente nos comércios que estavam abertos. Ao notar a presença da equipe de reportagem, vários descuidados se assustaram e recorreram ao uso do protetor facial, mas logo na sequência abandonaram novamente o acessório.
O proprietário de um estabelecimento do bairro, Wiliam Siqueira Silva, 29 anos, afirmou que os moradores não estão dando a devida atenção à doença. "Mesmo notando esse comportamento inadequado por parte das pessoas, eu fiquei surpreso quando soube que morava no bairro com a maior taxa de letalidade de Campinas. Quando passo nos bairros vizinhos percebo uma movimentação maior, com mais aglomerações do que aqui. Acredito que os moradores do Novo Campos Elíseos estão se infectando em outras regiões e trazendo a doença para cá", supôs Silva.
O ajudante geral Adriano Rodrigues, 33 anos, morador do bairro reforçou que a população não está fazendo a sua parte, ao não adotar as medidas de segurança. "Ninguém respeita ninguém. As pessoas estão se agredindo através de atitudes. Eu noto que a maioria dos moradores daqui ainda não acredita na doença. Tenho uma vizinha com um recém-nascido, que afirma: 'a covid-19 não existe'. As pessoas não estão com medo, andam nas ruas sem máscara. Tenho um vizinho que morreu por causa da doença, há três meses. Os moradores continuam achando que se trata de uma brincadeira. Enquanto isso, as pessoas vão morrendo", desabafou Rodrigues.
Segundo a epidemiologista Andrea Von Zuben, diretora do Departamento de Vigilância em Saúde de Campinas, o levantamento que a Administração faz da incidência da covid-19 nos bairros do município é essencial para entender como a doença vem agindo e afetando a população em proporções diferentes, de acordo com cada região. "É importante termos esses dados, inclusive para alertarmos os moradores dessas áreas. A taxa de letalidade mostra que as pessoas que residem no Jardim Novo Campos Elíseos não estão se cuidando como deveriam, mesmo que elas não tenham contraído a doença por lá", explicou Andrea.
A taxa é resultado de um comparativo entre o número de mortes causadas pela covid-19 e o número de casos confirmados da doença em cada bairro. Segundo a epidemiologista, o único meio de reverter o índice é adotar as medidas de segurança, como o distanciamento, o isolamento social e o uso da máscara. "Quando analisamos os dados, detectamos possíveis crescimentos atípicos na incidência da doença. A partir daí, promovemos ações específicas nas áreas que mais chamaram a atenção. Trata-se de um trabalho integrado entre o Centro de Saúde do bairro, as ações de fiscalização e de orientação, para alertar à população dos riscos. Percebemos que ainda existem pessoas com uma falsa sensação de segurança, que acreditam que não vão contrair a doença", ressaltou a diretora.
No entender de Andrea, o poder público precisa promover ações para proteger a população, mas as pessoas também precisam se conscientizar do perigo que a covid-19 traz. "Estamos há mais de um ano nesta luta, e ainda tem gente que não entendeu a importância de adotar as medidas de segurança. Fazer o que é necessário apenas quando tem fiscalização ou quando a imprensa aparece não ajuda em nada. Hoje temos em Campinas mais de 200 notificadores de dados da covid-19. Uma vez por semana analisamos os números computados para definir novas ações. Mas ainda falta a consciência individual para a proteção coletiva", concluiu Andrea.
Os bairros que lideram o número de infecções pela covid-19 em 2021, até o momento, são o Centro (817), o Cambuí (349) e o Jardim Chapadão (286). Mas os óbitos, se comparados com o número das infecções, fazem com que a taxa de letalidade nessas regiões seja menor que a do Jardim Novo Campos Elíseos. No Centro, por exemplo, há 25 óbitos registrados, o que resulta na taxa de letalidade de 3,1%. Segundo Andrea, as taxas são menores nessas áreas por elas serem mais populosas. "Como a taxa de letalidade é proporcional, em regiões de maior densidade demográfica elas tendem a ser mais baixas", concluiu a epidemiologista.

Escrito por:

Correio Popular