tamanho da letra: A-| A+


19/12/2011 20:24:40.000
Lago dos Cisnes

Luciana Checchia como Odette                                            

Nesta época do ano é comum a cidade de Campinas viver o momento das grandes apresentações de diversas escolas e categorias de dança. Esta cidade que tanto preza pela notoriedade de grandes nomes como Carlos Gomes e Guilherme de Almeida, vê também nos alunos dessas escolas, uma forma de dar continuidade às suas tradições culturais. Esses alunos, num momento sublime, apossam do estigma dos grandes nomes para fazerem de suas aulas, um grande espetáculo.
No início do mês de dezembro, o clássico Lago dos Cisnes e sua releitura para o sapateado e jazz foram apresentados pela Academia de Ballet Iris Ativa Lina Penteado. Essa releitura, diferentemente da versão tradicional apresentou um enredo criativo e que demonstrou que em pleno século XXI, pode-se dançar jazz e sapateado ao som de Tchaikovsky.
Desde o final de novembro, várias academias vêm se apresentando no Centro de Convivência Cultural da cidade, mas que em nada justifica o significado do próprio nome.
Este, que deveria ser um centro de cultura acompanhou o nome do balé apresentado, pois nos dias em que o Lago era encenado, o próprio “Convivência” estava imerso em água, pelas goteiras. As autoridades públicas, que por vários mandatos não honraram os grandes nomes de nossa história cultural, deixaram o teatro a sua própria sorte, ou seja, sem os cuidados necessários para a sua utilização.
Mas, nem tudo a água da chuva levou e o brilho do espetáculo foi além da primeira apresentação desse balé no Teatro Bolshoi em Moscou, em 20 de fevereiro 1877, no qual o príncipe Siegfried se apaixona pela princesa enfeitiçada Odette (cisne branco), mas a confunde com a princesa má Odile (cisne negro). Os quatro atos do balé se transformaram em um único espetáculo depois do grande desempenho dos alunos bailarinos e dos grandes solistas que encenaram um “lago de amor” em um “lago” de água, sem cisnes, mas com baratas e morcegos.
Não é exagero dizer, que o espetáculo procurou atingir a mesma perfeição que a obra russa centenária de Tchaikovsky buscou desde que foi encenada pela 1ª vez. Os alunos não se intimidaram com a má infraestrutura do local e embalados pela própria música demonstraram que o ser humano, quando trabalhado adequadamente, pode desenvolver habilidades e competências para desenvolver diversas atividades, mesmo não sendo um expoente na arte.
Os solistas, incluindo Francisco Timbó, primeiro bailarino do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, impressionaram em todas as situações possíveis, tanto nos momentos de drama ou de sensualidade dos cisnes negros, quanto nos (poucos) momentos de humor. Os elementos criados para compor os personagens, tanto os de técnica como os de dramaticidade foram marcantes até para o grande e diversificado público, que não está acostumado a ir ao teatro no Brasil.
E claro que vou dedicar um parágrafo para falar de Luciana Checchia. Repetir, após tantos anos, um desempenho exemplar, imprimir à sua atuação uma leveza e um amor pela arte, é digna de muitos aplausos. Demonstrou para as alunas e para todos que estavam nesse grande espetáculo, que é possível conservar a juventude e o amor pela arte e acima de tudo ter coragem, para criar momentos sublimes.
No conto que deu origem ao balé, o lago nascia das lágrimas dos cisnes. Para essa apresentação e para as demais que foram canceladas pela precariedade do teatro nesta semana, fica aqui o respeito e admiração. A luta pela arte ao apresentar parte dos espetáculos à frente do teatro, reflete a indignação de todos os envolvidos nessas apresentações.
Durante 2011, Campinas foi massacrada pela crise na vida política e assim como no Lago, as lágrimas nascem da indignação dos campineiros, desconsiderados como cidadãos.
 

Mais Noticias
enviada por Elizena Cortez

20/12/2011 19:57:00      enviada por: Angela Cristina Loureiro Junquer
(aljunquer@hotmail.com) Realmente Elizena, é lamentável a interdição do Centro de Convivência no momento do ano em que todas as academias de dança de Campinas se apresentam!Uma tragédia vem sendo anunciada faz anos pela mídia de Campinas e nada nunca foi feito, será que agora finalmente resolverão o problema maior da da Cultura nessa cidade:um teatro digno para o seus cidadãos? cidadãos

20/12/2011 15:46:00      enviada por: Maria Beatriz Cortez
muito lindo mamãe!!!!!! traduz tudo aquilo que estamos sentindo

20/12/2011 15:40:00      enviada por: Liz
Realmente, é uma vergonha uma cidade do porte de Campinas não ter um teatro decente...

19/12/2011 23:07:00      enviada por: Claudia
(Claudiacordeiro90@gmail.com) Parabéns a ecxelente matéria, estava la como mãe de aluna e fiquei perplexa com a atitude desses bailarinos, pois a precariedade do Teatro é lamentável...e agora interditado, ficaremos quantos anos aguardando esta reforma, que pelo visto não tem previsão para começar.

Nome:       E-mail: 
Quantidade de toques disponíveis:
Não divulgar meu e-mail   
Digite os caracteres que você vê na imagem
Imagem de Segurança