tamanho da letra: A-| A+


06/02/2012 12:15:54.000
Mais um ano letivo que se inicia...


Hoje a rotina de muitos estudantes vai mudar, ainda que a maioria deles já tenha começado suas aulas na semana que passou. Um novo fôlego para o trabalho letivo se faz necessário, tanto para os alunos quanto para os professores. Novos projetos, planejamentos e propostas já foram discutidos pelos docentes, resta agora conhecer sua clientela e aplicá-los!
Mas, antes temos que pensar que a escola sempre muda a cada ano que passa: alunos novos chegam assim como novos professores e todos esperam ser acolhidos no novo espaço escolar com a expectativa de encontrar uma escola nova. Segundo Profº Moran, professor de Comunicação da USP, uma escola é nova “quando tem educadores, materiais, atividades e ambientes de aprendizagem - físicos e virtuais - acolhedores, estimulantes e desafiadores para os alunos; projetos colaborativos, onde os alunos aprendem juntos, realizam atividades em ritmos e tempos diferentes. Os professores descem do pedestal e desempenham fundamentalmente o papel de orientadores. Saem do centro, do estrado, da lousa para circular, orientando os alunos individualmente e em pequenos grupos nas atividades de pesquisa, análise, apresentação, contextualização e síntese, de forma semipresencial. Escola que estimula múltiplas leituras de múltiplos textos de múltiplas formas: impressos, digitais, multimídia; simples e complexos; com histórias e conceitos.” Enfim, a escola que o professor sempre sonhou, mas que na realidade do nosso sistema educacional, falta muito ainda para se tornar realidade...
Após fazer uma reflexão sobre essa fala do Profº Moran, conclui que estou vivendo “a descoberta” dessa nova escola. Depois de ter encerrado meu trabalho docente na escola pública, com uma aposentadoria que me deixou a sensação de dever cumprido com a Educação e com a carreira que me propus seguir no magistério, fui convidada a retornar. Agora na escola particular, com aquelas prerrogativas que todo professor sonha: salas pequenas, com um número mínimo de alunos, para poder se dedicar com mais qualidade, recursos tecnológicos de última geração à disposição e todo suporte necessário para desenvolver uma aula de qualidade. Uma realidade que deveria ser a de todos os professores, ou melhor, daqueles que estão empenhados em um ensino de qualidade. Dessa forma, me propus a esse novo desafio nesse início de ano letivo e como qualquer aluno iniciante e ansioso para começar sua vida acadêmica, assim também me sinto, com a diferença de que a minha responsabilidade é muito maior. Enquanto educadora, considero-me uma agente de mudança na formação desse aluno, e colaboradora para que todos os objetivos propostos pela equipe gestora escolar se concretizem. Vencer os obstáculos, que impeçam que essa aprendizagem seja acolhedora e estimulante será o grande desafio!

Mais Noticias
enviada por Ângela Junquer

Nome:       E-mail: 
Quantidade de toques disponíveis:
Não divulgar meu e-mail   
Digite os caracteres que você vê na imagem
Imagem de Segurança