tamanho da letra: A-| A+


19/08/2012 08:45:33.000
Ganhadores de Gramado

Havia dois excepcionais filmes para ganhar o 40º Festival de Cinema de Gramado, encerrado ontem à noite, e comemorar dignamente o aniversário: O Som ao Redor, de Kleber Mendonça Filho, e O que se Move, de Caetano Gotardo. Um terceiro, Super Nada, de Rubens Rewald, também seria bem-vindo.

O júri, no entanto, preferiu jogar para a plateia, que gostou de Colegas, de Marcelo Galvão, e o aplaudiu em pé, um filme cheio de problemas, com alguns momentos muito toscos. A impressão é que o júri apostou na demagogia em vez da qualidade. Diante de tal decisão só resta repetir (em tom irônico) a velha frase de Caetano Veloso num antigo festival dos anos 1960: “o júri é simpático, mas incompetente”.

E o mais incompreensível ainda é que Colegas também ganhou o Prêmio Especial do Júri (para os três protagonistas, Ariel Goldenberg, Bruno Viola e Rita Pokk). Fica muito estranho que o filme tenha ganhado tal prêmio encerre a noite como o melhor do festival – no total foram quatro.

Colegas, rodado em parte em Paulínia, conta a história de três amigos com síndrome de Down que, a exemplo de Thelma e Louise (o filme de Ridley Scott, de 1991), saem em road movie pelo País. O problema é que roubam e usam armas (de brinquedo, claro), mas são perdoados e até recompensados. Aceitamos tal premissa porque eles têm síndrome de Down. Ou seja, é um filme condescendente, que joga com o politicamente correto e agrada.

Entretanto, a questão ética (do assalto e da malandragem dos personagens) não resolvida no filme, passa batido. É um filme simplório, que deve ter boa carreira nos cinemas, mas isso não justifica de modo algum o prêmio principal em Gramado.

Outra surpresa foi o prêmio de roteiro para Jorge Mautner – O Filho do Holocausto, de Pedro Bial e Heitor D'Alincourt, um documentário, quando havia pelo menos dois ótimos roteiros em disputa: O Som ao Redor, de Kleber Mendonça Filho, e O que se Move, de Caetano Gotardo.

E o júri ainda cometeu a gafe de premiar apenas uma das atrizes (Fernanda Vianna), de O que se Move, quando as três (ao lado de Cida Moreira e Andrea Marquee) mereciam um prêmio conjunto, pois são três histórias no mesmo tom. O diretor, ao subir no palco, falou claramente: “Não há como premiar só uma das atrizes” e, como Fernanda não estava presente, entregou o Kikito nas mãos de Cida e de Andrea.

Latinos

Entre os estrangeiros, Artigas, La Redota, do uruguaio/brasileiro César Charlone dominou a competição como era esperado. Ganhou cinco prêmios (filme, diretor, ator, Júri Popular e Júri da Crítica). O cubano Vinci (Eduardo del Llano Rodriguez) ficou com roteiro.

Curtas

Merecidíssimo o prêmio de melhor curta para o baiano Menino do Cinco (foto), de Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira. Foi, certamente, o melhor curta-metragem entre os 14 concorrentes. Um filme feito de camadas sólidas, que trabalha questões sociais e familiares a partir de um brilhante roteiro. E o desfecho é absolutamente impactante. Não dá para ficar insensível à primorosa cena final.

O júri também acertou ao premiar como melhor ator os protagonistas Thomas Vinícius de Oliveira e Emanuel de Sena. É difícil premiar crianças, pois ainda estão em formação. Mas além de o júri ter poucas opções, fez uma aposta ousada justamente para valorizar o curta como um todo. E acertou.

O filme, na verdade, saiu consagrado de Gramado, recebendo seis Kikitos: filme, ator, roteiro, prêmio do Júri Popular, Prêmio da Crítica e Aquisição do Canal Brasil. Os dois jovens e competentes diretores não sabiam nem mais o que dizer ao final.

Confira os principais premiados em Gramado

 Longa-metragem

Filme

Colegas (Marcelo Galvão)

Diretor

Kleber Mendonça Filho (O Som ao Redor)

Ator

Marat Descartes (Super Nada)

Atriz

Fernanda Vianna (O que se Move)

Som

O Som ao Redor

Trilha Musical

Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now! (André Abujamra)

Direção de arte
Colegas

Montagem

Jorge Mautner – O Filho do Holocausto

Fotografia

Jorge Mautner – O Filho do Holocausto

Roteiro

Jorge Mautner – O Filho do Holocausto

Prêmio Especial do Júri

Ariel Goldenberg, Breno Viola, Rita Pokk (Colegas)

Júri Popular

O Som ao Redor

Prêmio da Crítica

O Som ao Redor

 Latino

Artigas – La Redota (Uruguai)

 Curta-metragem

O Menino do Cinco

 

Mais Noticias
enviada por João Nunes

20/08/2012 18:45:00      enviada por: Gabriel Nunes
(gabrielgarcianunes@gmail.com) A questão da deficiência é sempre complicada de se tratar, mas vale a discussão. Confesso que fiquei interessado em ver o filme. Abraços Gabriel Nunes

Nome:       E-mail: 
Quantidade de toques disponíveis:
Não divulgar meu e-mail   
Digite os caracteres que você vê na imagem
Imagem de Segurança