1. Você está aqui:  
  2. Home
  3.  > 
  4. notícias
  5.  > 
  6. Campinas e RMC

Funcionário insatisfeito envenena colegas


Auxiliar de produção D.S.P., de 17 anos, colocou veneno de rato em garrafas térmicas


11/07/2012 - 19h05 .
Yasmine Souza   DO NOTÍCIA JÁ  
Compartilhar

Jovem foi apreendido em flagrante e ficará a disposição da Justiça
(Foto: André Montejano/ Especial para AAN)

Dez funcionários de uma confecção foram envenenados na manhã desta quarta-feira (11), no Jardim Pérola, em Santa Bárbara d'Oeste, depois de consumir café e leite com veneno para matar rato.

Ninguém chegou a passar mal, mas todos foram levados para Hospital Afonso Ramos e permanecerão em repouso e serão monitorados em casa por 72h.

O responsável pelo envenenamento foi o auxiliar de produção D.S.P., de 17 anos, que trabalhava na empresa há cinco meses.

De acordo com a polícia, ele confessou ter colocado o veneno nas garrafas térmicas para dar um susto nos funcionários, já que estava revoltado, pois neste mês teria recebido um salário muito baixo, além de ser menosprezados pelos colegas.

O jovem foi apreendido em flagrante e ficará a disposição da Justiça.

Uma funcionária que não quis se identificar contou que as duas garrafas utilizadas para envenenar os trabalhadores ficam em uma cozinha de uso comum.

No período da manhã, elas são abastecidas com leite e café para o café da manhã dos funcionários. A funcionária percebeu o gosto amargo no leite, mas tomou mesmo assim.

'No funco do copo, percebi um granulado cor rosa e chamei um colega' , conta a funcionária. Os dois encontraram a embalagem do veneno escondida sob o lixo, em cima da pia, além de vestígios da substância.

Eles também jogaram todo o café e o leite na pia e encontraram parte do veneno ainda nas garrafas.

Assustados, os funcionários ligaram para o corpo de bombeiros que os orientou a procurar uma unidade de emergência.

Segundo o delegado Rômulo Gobbi, o adolescente que estava revoltado não pretendia matar os funcionários, uma vez que o tipo de veneno utilizado é mais fraco e a quantidade foi muito pequena.

'Ele contou que pegou o veneno que estava em um banheiro da empresa, separou em duas partes e colocou nas garrafas térmicas.

Também disse, que não queria matar ninguém, somente assustar os colegas que o menosprezavam', afirma Gobbi. De acordo com Gobbi, o jovem é recém chegado do Pará e lá já foi apreendido por cometer furtos.

Os funcionários suspeitaram do adolescente porque no momento em que o gerente da empresa, que também consumiu o café envenenado, estava levando os trabalhadores para o pronto-socorro, o jovem tentou fugir, dizendo que iria para a casa.

O gerente insistiu para que ele fosse para o hospital e perguntou se ele sabia de alguma coisa. O auxiliar confessou que havia colocado o veneno nas bebidas porque queria se vingar, já que havia recebido apenas R$170 de salário este mês. O adolescente informou que seu salário deveria ser de R$650.

A reportagem procurou a empresa na tarde de ontem, mas a responsável pela confecção não estava no local.

Um atendente informou apenas que ela não consumiu as bebidas envenenadas, pois não tem o costume de tomar café na empresa.

Ele também afirmou que o jovem costumava faltar frequentemente ao trabalho e que toda a documentação, inclusive o registro com as faltas do adolescente, foram colocados a disposição do delegado.

Segundo a equipe médica que atendeu os funcionários, todos foram liberado bem, pois o veneno foi usado em pouca quantidade e também era de baixa toxidade. Entratanto, todos passarão por exames de sangue até sábado.