1. Você está aqui:  
  2. Home
  3.  > 
  4. notícias
  5.  > 
  6. Campinas e RMC

Morador de rua é suspeito de queimar filhotes de cão


Crime comoveu moradores da CDHU Santa Clara do Lago, onde eles viviam


09/08/2012 - 22h36 .
Felipe Tonon   DA AGÊNCIA ANHANGUERA  

Fabiana de Oliveira com a cadela Menina, mãe dos filhotes: tristeza
(Foto: Érica Dezonne/AAN)
Tags

Um morador de rua é o principal suspeito de atear fogo em dois filhotes de cachorro na madrugada desta quinta-feira (9), nos apartamentos da CDHU Santa Clara do Lago, na região do Campo Grande, em Campinas.

De acordo com os moradores, os filhotes dormiam em um imóvel abandonado no momento em que o incêndio começou. Menina, a mãe dos cachorrinhos, ainda tentou salvar os filhotes do fogo, mas eles morreram carbonizados. A população do bairro estava chocada com tamanha crueldade. A União Protetora dos Animais (UPA) foi acionada e está cuidando de Menina, que deverá ir para adoção.

Segundo pessoas que vivem no residencial, a cachorra e seus dois filhotes foram abandonados no bairro há cerca de um mês. “A gente adotou e passou a cuidar deles. Eram lindos e todo mundo gostava deles”, contou a auxiliar administrativa Fabiana Cristiane de Oliveira, de 31 anos, que acordou com os latidos na madrugada de ontem. “Ela latia muito e quando saí para ver o que estava acontecendo vi a casa em chamas e os cachorros morrendo no meio do fogo”, contou.

“Ela (a cadela) ainda tentou salvar os filhotes. Entrou no fogo e puxou eles pela perninha, mas eles já estavam mortos”.

Outros vizinhos também ouviram os latidos e estavam revoltados. “O cachorro não parava de latir. Parecia que estavam sufocando ele, porque latia com dificuldade. Só hoje (quinta) que eu fiquei sabendo que colocaram fogo. Um absurdo”, declarou Ana Paula Alves, de 37 anos, que mora no prédio em frente à casa onde estavam os cachorrinhos.

O ato de crueldade aconteceu por volta das 4h30. Ainda na madrugada, um grupo de moradores colocou os cachorrinhos mortos em um balde, separados da mãe, mas por cerca de 11 horas ela permaneceu ao lado dos filhotes. Quando a polícia chegou e levou o balde, ela continuou a seguir o policial.

“Que dó. A gente fica triste. Moro há 13 anos aqui e sempre procurei melhorar o bairro onde moro. Quero sempre cuidar, colocar coisas bonitas, mas cheguei aqui e vejo isso”, disse a agente de saúde Conceição Duarte, de 52 anos, que não conseguiu conter a emoção. “A gente que tem cachorro sofre demais, foi muito triste”.

A suspeita é de que um morador de rua conhecido como “Julião” seja o autor do crime. De acordo com testemunhas, após atear fogo o homem deixou o local dizendo que havia se vingado da cachorra. Menina se abrigava com os dois filhotinhos em uma casa abandonada onde funcionava o Centro de Ação Comunitária (CAC) dos apartamentos da CDHU do bairro. O morador de rua também dormia no local, mas estaria insatisfeito com a presença dos cachorros.

A cadela não ficou ferida e foi encaminhada para a União Protetora dos Animais (UPA). De acordo com o presidente da ONG, Feliciano Filho, a população deve continuar denunciando maus tratos contra os animais. Ele repudiou o crime.

O caso foi encaminhado para a Delegacia de Proteção aos Animais. Um investigador da polícia civil esteve no local, onde foi feita uma perícia. Também será aberto inquérito policial para apurar a autoria do crime, que tem pena de três meses a um ano de detenção e multa.