1. Você está aqui:  
  2. Home
  3.  > 
  4. notícias
  5.  > 
  6. Campinas e RMC

Campinas testa aluguel de bicicletas em seis áreas


Plano da Administração é oferecer serviço por seis meses, a partir de 22 de setembro, conforme edital publicado nesta quarta-feira


15/08/2012 - 20h27 .
Maria Teresa Costa   DA AGÊNCIA ANHANGUERA  

Campinas vai ganhar um sistema de aluguel de bicicletas, que funcionará experimentalmente, por seis meses. A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) publicou edital abrindo o credenciamento de empresas interessadas em custear toda a operação e fornecer as bicicletas.

O sistema oferecerá pelo menos 180 bikes. A implantação efetiva da locação após o período experimental, no entanto, vai depender do prefeito que será eleito nas próximas eleições municipais.

A proposta da Administração é inaugurar o sistema em 22 de setembro, em seis áreas: Barão Geraldo, Amarais, Sousas, Taquaral, Terminal Central e Aparecidinha. A empresa interessada terá obrigação de instalar no mínimo três estações de aluguel para cada área escolhida, com pelo menos dez bicicletas em cada estação.

No momento da locação, os veículos serão liberados eletronicamente, por meio de um aplicativo a ser instalado no telefone celular do usuário, ou pela internet.

Projeto semelhante está sendo implantado em Porto Alegre. O tempo mínimo de empréstimo, sem cobrança adicional, não poderá ser inferior a 30 minutos. O edital, no entanto, não define o valor que os usuários pagarão para alugar a bicicleta. Segundo o presidente da Emdec, André Aranha Ribeiro, o menor preço de tarifa será um dos critérios de seleção das empresas que quiserem entrar na operação experimental.

O uso da bicicleta como meio de transporte é parte do plano de mobilidade urbana, mas como um projeto como esse é novo na cidade, a Prefeitura, disse o presidente, optou por um período experimental para ver se é viável economicamente para a Administração fazer a concessão do serviço. “Vamos ter parâmetros para avaliar se valerá a pena implantar de forma perene”, afirmou.

As áreas onde os equipamentos serão disponibilizados foram selecionadas em função de já existir deslocamentos em volume significativo em bike. Boa parte desses deslocamentos serão por vias locais, sem ciclovias. Mas haverá indicações de rota. As ciclovias serão necessárias, segundo a Emdec, onde houver maior densidade de tráfego.

Há pelo menos quatro empresas operando o aluguel de bicicletas, sistema que chegou ao Rio de Janeiro, Sorocaba, Florianópolis, São Paulos João Pessoa.

Para alugar a bicicleta em São Paulo, o usuário deverá preencher um cadastro no site do sistema e fazer um depósito de R$ 10,00. Para destravar a bicicleta na estação, o usuário precisará ligar do telefone celular para a Central ou solicitar pelo aplicativo de Smartphones. A bicicleta poderá ser usada por 30 minutos ininterruptos, durante os quais nenhum valor é cobrado, mas após essa meia-hora o ciclista deverá estacionar o equipamento em qualquer estação por 15 minutos. Caso o ciclista deseje utilizar a bicicleta sem a pausa, serão cobrados R$ 5,00 por cada 30 minutos subsequentes.

Em 2010, Campinas inaugurou o primeiro bicicletário do Interior de São Paulo instalado entre a Rodoviária de Campinas e o Terminal Metropolitano Magalhães Teixeira, no Centro da cidade, mas o projeto acabou não dando certo.

A intenção é que agora, com um sistema de aluguel, as pessoas passem a adotar a bicicleta como meio de transporte, como ocorre em várias cidades do mundo.

Indaiatuba foi a primeira cidade da Região Metropolitana de Campinas (RMC) a disponibilizar bicicletas para a locomoção da população. No município, o usuário não paga para acessar o sistema, chamado Ecobike, que começou a operar em junho. Além de o uso do equipamento não ser cobrado, a outra novidade é que as 200 bikes, que serão oferecidas inicialmente, são ecológicas — feitas com a reciclagem de garrafas PET.