1. Você está aqui:  
  2. Home
  3.  > 
  4. notícias
  5.  > 
  6. Campinas e RMC

Após casos de maus-tratos, Hortolândia faz protesto


No mês passado um agente da Penitenciária I de Hortolândia matou um cão da raça rottweiller com um tiro dentro da unidade prisional


19/08/2012 - 16h39 .
Agência Anhanguera de Notícias    

Cerca de 350 pessoas reuniram seus animais de estimação neste domingo para participar da 1ª Parada do Orgulho Animal em Hortolândia
(Foto: Carlos Souza Ramos/AAN)
Tags

Cerca de 350 pessoas reuniram seus animais de estimação neste domingo para participar da 1ª Parada do Orgulho Animal em Hortolândia. A passeata, que seguiu pela ciclovia da Avenida Olívio Franceschini, percorreu cerca de três quilômetros até a Praça Chico Mendes, onde os participantes e a população em geral foram orientados sobre os cuidados com os animais.

De acordo com a organizadora da parada e coordenadora do Projeto Cão Feliz, Márcia Campos, a ideia do protesto é conscientizar a população sobre adoção e posse responsável. 'Temos acompanhado muitos casos de maus tratos pela mídia e precisamos fazer alguma coisa para mudar esse quadro' , disse Márcia.

No mês passado um agente da Penitenciária I de Hortolândia matou um cão da raça rottweiller com um tiro dentro da unidade prisional. Edson dos Santos Oliveira sacou o revólver e sem nenhum motivo atirou contra o pescoço do animal. No mês de abril, um outro agente penitenciário atirou três vezes contra um cachorro. O animal foi socorrido e morreu após 11 dias.

O município tem cerca de 6 mil animais abandonados, segundo a organizadora, e constantemente registra casos de maus tratos. 'Recentemente, tivemos aqueles casos dos agentes penitenciários que mataram os cães dentro da delegacia. Temos casos de pessoas arrastando seus animais pelas ruas. Há poucos dias, vimos 500 famílias se mudando e abandonando seus cães. Isso não pode continuar, temos que conscientizar os moradores e pedir ajuda ao poder público, principalmente quanto à castração dos bichos.' , completou Márcia.

Robson Daniel Ferreira, de 29 anos, levou seu labrador de dois anos, para demonstrar seu apoio ao projeto. 'Eu acompanho a luta do grupo pelo bem-estar animal e resolvi vir hoje para dar apoio ao projeto' .

A ação, organizada e divulgada por meio de outdoors e redes sociais, foi inspirada na 1ª Parada do Orgulho Animal ocorrida em Niterói, no Rio de Janeiro, em outubro do ano passado em comemoração à Semana da Proteção Animal e à luta pela causa animal. No fim do percurso, os animais foram recompensados com água, ração e muito carinho. Mais de 100 quilos de ração foram doados por uma empresa que apoia o projeto.