1. notícias
  2.  > 
  3. Campinas e RMC
Escola com período integral cresce 43% em Campinas
De acordo com dados do Ministério da Educação em 2010, a cidade tinha 23 escolas públicas que ofereciam educação em período integral; em 2011, já são 33 escolas cadastradas no sistema nacional, sendo 11 municipais e 22 estaduais
25/01/2011 - 13h49 . Atualizada em 25/01/2011 - 13h56

Inaê Miranda    

A arquiteta Daniela Farias Scaraffatti com os filhos Breno (à esq.), de 16 anos, e Caio, de 14: atividades extras fora do período de aula
(Foto: Érica Dezonne/ESPECIAL PARA AAN)
Tags
Escola período integral

O número de escolas que oferecem ensino em período integral em Campinas aumentou 43% em um ano. De acordo com dados do Ministério da Educação (MEC), em 2010, a cidade tinha 23 escolas públicas que ofereciam educação em período integral. Em 2011, já são 33 escolas cadastradas no sistema nacional, sendo 11 municipais e 22 estaduais. O aumento faz parte de um plano de expansão iniciado em 2008. Na rede privada, a procura e a oferta também são maiores. 

Além de atender às necessidades dos pais que trabalham fora, os especialistas garantem que a qualidade da educação integral é melhor. “Estamos em um processo nacional de adesão à educação integral. Temos uma série de pesquisas que comprovam que os melhores resultados são dos alunos que passam um tempo maior na escola ou que realizam alguma ação complementar”, afirmou o professor Leandro da Costa Fialho, coordenador-geral de ações educacionais complementares do Ministério da Educação. 

Apesar de não ter dados, Fialho acredita que a oferta de vagas nas instituições privadas também seja maior. “Trata-se de uma tendência nacional”, disse. Para atender à demanda, muitas escolas ampliaram, além do número de vagas, o número de atividades. “O ensino integral é uma opção para quem enfrenta dificuldade para conciliar os seus horários de trabalho com as atividades das crianças”, afirmou a coordenadora geral do Colégio Sagrado Coração de Jesus, Aparecida Mascaro. Segundo ela, o colégio começou a trabalhar com período integral em 2001 com dez alunos e, atualmente, já são mais de 80 matriculados para 2011. 

Entre as atividades extracurriculares, a escola oferece oficinas de dança e balé clássico, ginástica, música, oficina de pintura, treinamento esportivo e até aulas de astronomia. “Todas as atividades são realizadas com profissionais especializados. Temos uma equipe de psicopedagogia, nutricionistas. Tudo para aumentar o bem-estar da criança, a qualidade da educação e oferecer mais segurança aos pais que não conseguem passar um tempo maior com o filho”, disse Aparecida.

Leia a matéria completa na edição do Correio Popular do dia 25/01/2011