1. Você está aqui:  
  2. Home
  3.  > 
  4. notícias
  5.  > 
  6. Caso Sanasa

Campinas gasta R$ 53 mi ao ano com comissionados


Cidade tem mais cargos em comissão do que o total de servidores indicados nos governos de países como França, Inglaterra e Alemanha


10/07/2011 - 13h51 . Atualizada em 10/07/2011 - 13h58
Henrique Beirangê    
Compartilhar

Prefeitura de Campinas, onde pelo menos 860 comissionados recebem mais de R$ 5 mil; gerente da Sanasa tem salário de até R$ 42,6 mil
(Foto: Cedoc/RAC)

O número de funcionários em cargos comissionados na Prefeitura de Campinas é maior do que o total de servidores indicados nos governos de países como França, Inglaterra e Alemanha. Em Campinas, são hoje 1.452 servidores em cargos preenchidos por indicação política, segundo dados da própria Prefeitura, só na Administração direta, o que representa cerca de 8% do total de funcionários. Nos países europeus citados, esse número não ultrapassa 400 cargos em cada um deles, segundo dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Do total de indicados na Administração municipal, 686 postos estão ocupados por servidores que não precisam realizar concurso para exercerem a atividade. 

Os gastos com a folha de pagamento dos cargos comissionados é de cerca de R$ 53 milhões ao ano, mas o valor pode ser bem maior quando considerados os demais cargos da Administração indireta. A reportagem vem solicitando a todas as empresas e demais autarquias do município, há pelo menos dois meses, informações sobre o peso dos cargos comissionados na folha de pagamentos dos órgãos. No entanto, nenhum deles forneceu os dados. 

No início deste ano, o secretário municipal de Recursos Humanos, Luís Verano Freire Ponte, chegou a informar que existe um estudo em andamento coordenado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) para reduzir o número de cargos comissionados, mas, passados quase sete meses, não há notícias sobre os cortes.

Salários
Levantamento realizado pelo Correio mostra que os comissionados do poder público recebem salários acima da média paga pela iniciativa privada em funções semelhantes. Pelo menos 860 deles recebiam mais de dez salários mínimos (R$ 5.450,00) em maio.
Na folha de pagamento do município, disponível para consulta livre na internet, aparecem casos de floristas de cemitério e motoristas de carro funerário com salários entre R$ 5,8 mil e R$ 7,9 mil, além de técnicos em enfermagem que recebem R$ 6 mil. 

Leia mais nas edições do dia 10/7 dos jornais do Grupo RAC