1. Você está aqui:  
  2. Home
  3.  > 
  4. notícias
  5.  > 
  6. Economia

Programa de fidelidade chega ao salão de beleza


Diante da concorrência cada vez mais acirrada, estratégia ajuda negócios a manterem a clientela


27/02/2011 - 13h15 . Atualizada em 27/02/2011 - 13h43

Sheila Vieira     Agência Anhangüera de Notícias   Compartilhar  

Os programas de fidelidade, tão utilizados por operadoras de cartões de crédito e telefonia celular ou empresas de aviação, também conquistaram a clientela dos salões de cabeleireiros de Campinas. Diante da acirrada concorrência, vale tudo para reter os clientes. São várias as estratégias, que vão desde serviços grátis para quem preenche um cartão de fidelidade, até hidratação nos cabelos para os consumidores que adquirirem produtos no salão, ou ainda ações que reforcem a relação entre o cabeleireiro e a clientela.

Alguns salões testam várias ações até estipular qual é a mais indicada para o perfil dos frequentadores. É caso do Monalisa, localizado no Cambuí, que adotou o Dia da Beleza como estratégia para elevar a satisfação das clientes. De acordo com o gerente do Monalisa, Emerson Paulino de Souza, o objetivo do programa é fazer com que a clientela perceba que se trata de uma forma especial de atendimento.


Para ter direito a participar do Dia da Beleza, basta desembolsar uma média de R$ 120,00 na compra de um kit com xampu e condicionador das marcas parceiras e, assim, ganhar uma cauterização ou hidratação profunda oferecida pelo técnico da marca. A ação é realizada a cada dois meses para grupos de 15 convidadas. “No Dia da Beleza, as participantes poupam R$ 98,00 na cauterização ou R$ 60,00 se for uma hidratação”, diz. A ação já se reverteu em 20% de aumento nos negócios do Monalisa, e quem define o tipo de serviço que será oferecido é a empresa parceira.


Outra forma de demonstrar atenção às clientes é o uso de um software que gerencia o banco de dados e informa ao profissional quais clientes precisam retocar alguns serviços. Mas não se trata de e-mail de marketing disparado aleatoriamente. O gerente do Monalisa explica que cada cabeleireiro possui um notebook com o arquivo das clientes e, de tempos em tempos, ele entra em contato para checar a situação dos cabelos e as convida para retocar o serviço. “A maioria retorna ao salão após o contato.” A maior parte das frequentadoras gasta em média R$ 200,00 mensais no salão.


Bairros
A adoção de programas de fidelidade não é privilégio apenas de salões de shoppings ou bairros luxuosos. No São Bernardo, há cerca de sete anos algumas estratégicas de fidelização são adotadas no salão Cris Stúdio Cabelos e Artes. A mais utilizada é o cartão de fidelidade que, após ser preenchido com dez carimbos — o que significa uma média de R$ 300,00 em serviços —, dá direito a um corte de cabelo (R$ 35,00) ou uma hidratação (R$ 70,00) “Acredito que 60% da clientela usem o cartão de fidelidade”, calcula a proprietária do salão, Cristiane Duarte, que considera as frequentadoras do local como fixas e não de passagem, a exemplo do que ocorre com os salões do Centro.


Outra ação de fidelização é telefonar para as clientes para lembrá-las da necessidade de retocar alguns serviços. Uma das adeptas ao cartão de fidelidade é a estudante Ana Carolina Honda, de 19 anos, que pelo menos três vezes ao mês realiza algum tipo de serviço no salão. “Já preenchi um cartão, que deu direito a hidratação e, agora, faltam apenas três carimbos para completar o segundo”, comemora a jovem, que já obteve um serviço grátis pelo qual pagaria R$ 70,00.

Para ela, o cartão de fidelidade age mais como incentivo de retorno do que uma possibilidade de economia, pois cria um vínculo com o local de prestação de serviço. “Conhecia a estratégia em outros estabelecimentos, mas em salão foi a primeira experiência.”

Especialista
A estratégia da fidelização é ideal para o setor de prestação de serviços que não trabalha com volume de negócios. É mais fácil reter do que conquistar um cliente, conta o docente de Marketing Promocional da Pontífícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), Wagner Bastos. Mas, assegurar o sucesso de um programa de fidelidade em um salão de cabeleireiro, primeiramente depende da definição clara do seu objetivo: fidelização ou relacionamento.


Fidelizar é relativamente menos complexo e funciona com pequenas iniciativas promocionais: cortando dez vezes o cliente ganha um corte, por exemplo. Entretanto, esse tipo de ação não cria relacionamento, não trabalha marca ou imagem. Por outro lado, um programa de relacionamento pode contemplar as duas coisas, porém necessita de um planejamento maior.