1. Você está aqui:  
  2. Home
  3.  > 
  4. Esportes
  5.  > 
  6. Olimpíadas

Brasil atropela Argentina e está na semifinal


Sem tomar conhecimento do adversário, seleção brasileira superou a rival por 3 sets a 0, com parciais de 25/19, 25/17 e 25/20


08/08/2012 - 11h21 .
Agência Estado    

Seleção brasileira de voleibol masculino passou pela Argentina sem dificuldades
(Foto: France Press)

Na fácil vitória sobre a Argentina por 3 sets a 0 - parciais de 25/19, 25/17 e 25/20 -, o Brasil perdeu nesta quarta-feira (08/08) Leandro Vissotto, contundido, mas ganhou a juventude de Wallace, trunfo da seleção para enfrentar nesta sexta-feira (10/08) a Itália na semifinal do vôlei masculino. A equipe europeia surpreendeu o público no Earls Court ao eliminar os atuais campeões olímpicos, os Estados Unidos, também por 3 a 0, logo depois da exibição brasileira.

'A Itália melhorou muito, explora bem o saque, seu ponto forte, mas oscila bastante', comentou o técnico Bernardinho, confiante de que a seleção tem boas chances de disputar mais uma vez a medalha de ouro.

Vissotto caiu em quadra ainda no início da partida, o Brasil vencia o set por 20 a 13 e houve o temor de que a sua saída pudesse abalar a equipe. Inconsolável, chorava ao lado de Ricardinho, entre os reservas, enquanto via Wallace despontar como o grande nome do clássico sul-americano.

Estreante em Olimpíada, o paulista de 25 anos manteve a serenidade, atacou com firmeza, esteve muito bem nos bloqueios e recebeu o apoio de todos os outros atletas brasileiros. Ainda assim, avaliou sua atuação apenas como regular. 'Estou preparado, sempre estive, não perco a cabeça', comentou Wallace, que conversa com os pais Levi e Gleci diariamente. 'Ela chora, deve ter chorado durante o jogo de novo'.

A aflição da equipe ao perceber a seriedade do problema de Vissotto - sofreu lesão muscular e vai ficar fora de atividade por semanas - acabou compensada pela atuação de seu substituto. Wallace é tratado no grupo como um xodó e a todo instante recebe um afago ou orientação dos colegas. Murilo, um dos líderes da equipe, disse que já existe uma estratégia dos mais experientes para auxiliar o jogador do Cruzeiro em momentos complicados. 'Quando ele comete algum erro, o Bruninho (levantador) trata de passar duas ou três bolas com açúcar para ele finalizar', contou. 'Aí ele volta a sorrir e assusta os adversários'.

Para Bernardinho, a autoestima do oposto não é baixa. 'O Wallace vem de origem humilde, é muito tímido, mas é um garoto corajoso, está em evolução'. O técnico tentou disfarçar o incômodo pela perda de Vissotto. 'Vou ter de buscar outra solução, ainda hoje (quarta) conversarei com o Thiago (atacante e o menos utilizado nos Jogos de Londres)'.

A vitória sobre a Argentina deu sinais claros de que o Brasil sobe de produção a cada jogo. O bloqueio funcionou várias vezes, Murilo foi efetivo no ataque, assim como Lucão, e Bruninho teve rendimento superior ao dos confrontos anteriores. Sidão e Dante também se destacaram e o líbero Serginho não destoou.

'É frustrante sair agora, faltando dois jogos para a final, depois de tanto empenho, treinos e amistosos na fase de preparação. Mas tenho de me conformar e torcer pela seleção', comentou Vissotto, que também elogiou Wallace. 'Ele é fora de série e extremamente calmo'.

A fim de se distanciar da pressão por resultados, o novo titular da equipe recorre a jogos de pôquer on line, todos os dias, nas horas de folga na Vila Olímpica. 'Estou num ambiente completamente diferente de tudo que vi. Quero aproveitar cada minuto e, se possível, dedicar uma medalha a meus pais'.