1. Você está aqui:  
  2. Home
  3.  > 
  4. entretenimento
  5.  > 
  6. Variedades

Camila Pitanga faz seu primeiro nu frontal da carreira


“É um órgão feminino exposto, não considero difícil. Não tirei a roupa, mostrei a alma da personagem”, jura Camila, que levou o prêmio de melhor atriz no Festival do Rio


22/04/2012 - 10h10 . Atualizada em 22/04/2012 - 10h30
Diário do Povo   Grupo RAC  
Compartilhar

Camila Pitanga
(Foto: Divulgação)
Tags

No filme Eu Receberia as Piores Notícias de Seus Lindos Lábios, de Beto Brant e Renato Ciasca, que está em cartaz em Campinas, Camila Pitanga surge na tela de forma surpreendente. Interpretando a ex-prostituta Lavínia, ela vive um triângulo amoroso com o pastor Ernani (Zecarlos Machado), mais velho, e o fotógrafo Cauby (Gustavo Machado), e protagoniza cenas quentes de sexo, com direito a nu frontal, pela primeira vez em sua carreira. 

“É um órgão feminino exposto, não considero difícil. Não tirei a roupa, mostrei a alma da personagem”, jura Camila, que levou o prêmio de melhor atriz no Festival do Rio pela personagem. 

A atriz revela que já se viu na mesma situação de Lavínia. “Eu já estive entre dois amores”, lembra ela, que acredita no equilíbrio entre razão e emoção para fazer escolhas. “Gosto de uma expressão da minha terapeuta: coração inteligente. A gente ama, mas não pode ser um fio desencapado nas escolhas. Faço uma tentativa de trazer essas duas coisas”. 

Apesar de dizer estar numa fase “mais impulsiva” e dos comentários de que estaria reatando com o ex-marido, o diretor Claudio Amaral Peixoto, Camila garante estar sozinha. “Não estou com ninguém. Estou numa fase de experimentar, tenho trabalhado muito o corpo, em vários tipos de dança. A impulsividade é mais em assuntos de trabalho”, jura. 

Ela acredita ter pontos em comum com a personagem. “Lidar com a volúpia, o desejo, a loucura é uma constante nas mulheres. É hormonal. Nós temos um vulcão dentro da gente. Como mulher que sou, me identifico com ela”, diz Camila. “O lado da autodestruição, a relação com as drogas, a degradação, isso me afasta dela”. 

Para viver Lavínia, ela fez preparação corporal com Márcia Feijó e teve conversas com pacientes do Instituto Pinel (de psiquiatra), com dependentes químicos no Centro Vida e com prostitutas. “Fui para Copacabana com o (cantor) Fausto Fawcett, que conhece e retratou tão bem o bairro. Conversei com as meninas”, diz. 

Ela também “passou fome” para emagrecer e mostrar o envolvimento da personagem com drogas. De resto, nenhuma preparação física especial. “A ideia era ter um corpo de verdade, de uma mulher comum”, diz Camila. Mas admite: existia uma preocupação em aparecer bonita nas cenas de nu. “É claro”, resume. 

Som Brasil
Antes de voltar às novelas, na nova trama das seis, Lado a Lado, na Globo, Camila Pitanga marca presença na TV dia 27, no Som Brasil, no especial sobre as canções. 

“Tenho muito orgulho desse programa, e ter contato com a música é muito importante. Ela é absolutamente presente na minha vida, adoro a música brasileira, é uma causa em que eu acredito”, garante ela, que estimula a filha Antônia a mergulhar nesse mundo. “Ela adora ouvir Nina Becker, engraçado, né? Mas também escuta os clássicos de criança, como Palavra Cantada, Adriana Calcanhotto Partimpim”, detalha. Na volta ao Som Brasil — ela precisou sair do especial para gravar Insensato Coração —, Camila revisita a música nordestina, que homenageia nomes como Elba Ramalho e Geraldo Azevedo. “É um movimento muito bonito, de pessoas incríveis”, diz.